Vida profissional: participar de prêmio universitário desenvolve habilidades

Muito mais que uma forma de reconhecimento pelo que foi feito, premiação mostra espírito empreendedor e maturidade

SÃO PAULO – Universidades brasileiras promovem premiações para os trabalhos realizados pelos alunos durante o ano. Muito mais do que uma forma de reconhecimento pelo que foi feito, participar de um concurso como esse ressalta características valorizadas pelo mercado de trabalho em geral.

De acordo com o consultor do instituto de aperfeiçoamento profissional IDORT/SP, David Carlessi, normalmente, com o projeto, os alunos acabam adquirindo a experiência empresarial que não têm. “Eles fazem a aplicação prática da teoria quando participam e, por este motivo, já saem ganhando, mesmo que não vençam a competição”, afirmou.

Características desenvolvidas

Vencer significa que o universitário possui diversas características requisitadas pelo mercado de trabalho, mesmo que a competição seja feita em grupo. Carlessi listou algumas delas:

  • Raciocínio estratégico: os projetos promovem o que é fundamental no ambiental corporativo, que é o planejamento no curto, médio e longo prazo.
  • Trabalho em equipe: quando realizado em grupo, o universitário aprende o que é trabalhar com outras pessoas, com personalidades distintas.
  • “Coompetitividade”: é a união da competitividade com a cooperação. “A competição é feita com outras equipes e, no grupo, é preciso cooperação para mostrar o que sabe, com a finalidade de ajudar”.
  • Boa comunicação: o universitário desenvolve a capacidade de dialogar com os outros profissionais da mesma área.

Contatos importantes

Algumas empresas costumam participar da promoção desses prêmios. Por isso, diversos profissionais da área são chamados para indicação dos vencedores, o que traz visibilidade para quem ainda está nos bancos universitários. Além disso, é a chance de começar a montar o famoso networking.

A rede de contatos é muito importante para a carreira. Segundo a pesquisa “A Contratação, a Demissão e a Carreira dos Profissionais Brasileiros – edição 2007”, realizada pela Catho Online com 12 mil profissionais, 44,36% dos entrevistados disseram que conseguiram emprego pela indicação dos amigos.

“No contato com a outra pessoa do mesmo ramo, é analisada a capacidade de comunicação, de se relacionar e fazer perguntas, além do conhecimento cultural”, disse Carlessi.

Currículos

Quando vencer um prêmio universitário, Carlessi indica que o aluno coloque isso no currículo. “Porque mostra iniciativa, que concretizou alguns conceitos. É como incluir que já foi monitor, o que revela uma ação de liderança, que o aluno se destacou de alguma maneira”, afirmou.

O consultor indica ao universitário que não fale do vencimento do prêmio durante a entrevista em grupo, a não ser que seja perguntado. O melhor, segundo Carlessi, é esperar um momento mais particular, quando o aluno deve falar quais foram as atividades realizadas.