Vendas industriais em janeiro aumentaram 3% frente a dezembro, diz CNI

Vendas reais seguem em alta; horas trabalhadas na produção e utilização da capacidade instalada estão estáveis

SÃO PAULO – Segundo dados divulgados pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) nesta quinta-feira (22), as vendas industriais em janeiro no Brasil aumentaram 3% se comparadas a dezembro último. Na comparação com janeiro de 2006, o incremento foi de 6%.

Apesar dos números serem favoráveis, a CNI faz algumas considerações. “Vale ressaltar que o desempenho positivo das vendas industriais esteve concentrado em poucos setores”, afirma a instituição.

Segundo dados da CNI, apenas dois setores, o de Produtos Químicos e o de Refino de Petróleo e Álcool, representam cerca de 60% de todo o crescimento de vendas da indústria brasileira entre janeiro de 2006 e janeiro de 2007.

Horas trabalhadas: ligeira redução

PUBLICIDADE

O número de horas trabalhadas na produção industrial brasileira em janeiro recuou 0,8%, comparativamente a dezembro de 2006. Tal redução se deu pelo fato de a produção acompanhar o menor dinamismo da atividade industrial e a redução do número de trabalhadores no país.

As quedas mais significativas ocorreram nos setores de Vestuário (-13,9%), de Móveis (-6,9%) e de Alimentos e Bebidas (-6,2%). Em outros setores, foi verificado um aumento no número de horas trabalhadas. “É o caso da Indústria de Couro e Calçados, com 9,6% de alta, Têxteis, com 9,4% e Equipamentos de Transformação, com 12,5%”, afirma a CNI.

Capacidade instalada: 79,5% de utilização

Em janeiro deste ano, as indústrias brasileiras operaram, em média, com 79,5% de utilização da capacidade instalada. Em dezembro passado, esse indicador foi de 79,9%. “Essa queda é sazonal, acompanha o menor dinamismo do setor”, ressalta a CNI.

Já na comparação com janeiro de 2006, percebe-se um crescimento da utilização da capacidade instalada. Na época, o indicador era de 78,4%. Tal incremento foi identificado, principalmente, em cinco setores: Refino de Petróleo e Álcool, Produtos de Metal, Couro e Calçados, Produtos Químicos e Máquinas e Equipamentos. “Todos esses setores apontaram crescimento de 3 pontos percentuais nos últimos 12 meses terminados em janeiro”, completa a CNI.