Na berlinda

Veja quem são os 8 CEOs que podem ser demitidos em 2013

Com maus resultados financeiros e queda nas ações, alguns dos CEOs das maiores multinacionais podem ser demitidos em 2013. Você sabe quem são eles?

arrow_forwardMais sobre

SÃO PAULO – Com os balanços de fim de ano, grandes empresas de capital aberto começam rever as causas dos maus resultados financeiros e exigem algumas mudanças para inverter sua situação precária. Um dos primeiros passos dessa mudança é a demissão de seus CEOs (Chief Executive Officer), ou diretores-financeiros.

Segundo o site 24/7 Wall St., é fácil prever alguns nomes que estão na “berlinda” em 2013, com base nos resultados recentes de sua administração no comando da empresa. “Naturalmente, os CEOs são expulsos por uma série de razões. Queda dos preços das ações está no topo da lista”, disse o artigo. “Além disso, alguns executivos têm sido incapazes de reverter os prejuízos ao longo prazo”.

Veja abaixo os diretores que podem ser demitidos no próximo ano:

PUBLICIDADE

Rory Read – O motivo citado acima é um dos maiores problemas para Rory Read, CEO da AMD (Advanced Micro Devices). A empresa norte-americana fabricante de processadores, teve uma queda nas ações após comprar a ATI Technologies, em 2006.

Sherilyn McCoy – A diretora-geral da Avon Products Inc. foi contratada em novembro de 2011 para tentar aumentar o faturamento da empresa e dar maiores esperanças aos seus investidores. Porém, tornou-se evidente que a CEO não conseguiu dar conta de tamanha responsabilidade e os problemas da empresa passaram de graves para críticos.

Ron Johnson – O mesmo dilema também atormentando o CEO da JC Penney Co. Inc., que vive um baixo desempenho em suas ações em 2012 e nos últimos anos. “Como regra geral, um CEO lidera a empresa durante dois ou mais anos. Essa é uma das exceções que podem acontecer em 2013, uma vez que um novo executivo conturbou ainda mais a situação da empresa, tomando decisões erradas e acelerando seu declínio”, finaliza o artigo americano.

Jeffery R. Gardner – O comandante da Windstream Corp viu as ações caírem ao longo dos anos, com média de -26%. As dificuldades da empresa aumentaram recentemente, quando o último trimestre relatou uma receita de US$ 1,55 bilhão, uma queda de 1% em relação ao mesmo período do ano passado. O lucro líquido está na mesma base, com US$ 54 milhões, ante os US$ 78 milhões registrados em 2011.

Michael Dell – Geralmente, é improvável demitir um fundador, que também é CEO da empresa, mas o presidente da Dell pode fazer parte desses casos incomuns. Além das ações da Dell terem baixa de -30% este ano, elas caíram 59% nos últimos anos. Segundo o resultado do último trimestre, a empresa diminuiu sua receita de US$ 15,4 bilhões para US$ 13,7 bilhões. “Além disso, a empresa não é forte o suficiente para liderar no segmento de software e ficar à frente da IBM”.

John Riccitiello – O CEO da EA (Electronic Arts) desde 2007 viu a empresa ter um prejuízo líquido de quase US$ 2,5 bilhões entre 2008 e 2011. Segundo os dados atuais, a receita caiu de US$ 715 milhões para US$ 711 milhões. Seus investimentos em novas mídias sociais e plataformas móveis têm tido grandes perdas, por não acompanhar concorrentes como Zynga Inc.

PUBLICIDADE

Andrew Mason – Já houve rumores que o conselho do Groupon poderá substituir Mason, que é CEO e co-fundador da empresa desde 2008. A parte de apenas “rumores”, Mason é criticado por permitir pequenas e grandes empresas como Amazon.com Inc. de comprar ações do Groupon. “Acima das falhas do CEO sobre a concorrência, os resultados financeiros do Groupon foram muito ruins, causando preocupações sobre sua sobrevivência como uma empresa independente”.

Aubrey McClendon – O site considera “quase incompreensível” o CEO da Chesapeake Energy Corp se manter no cargo. Em abril, uma investigação descobriu que ele gastou US$ 1,1 bilhão para interesses pessoais. Já em maio, a diretoria colocou-o como presidente e, em junho, McClendon contratou um advogado para representar seus interesses. “Como se isso não bastasse para provocar sua demissão, a receita no trimestral mais recente relata queda de US$ 3 bilhões, ante os US$ 4 bilhões registrados no mesmo período do ano anterior”.