Veja por que dizer “sim” pode se tornar prejudicial para a carreira

Por trás da aceitação, existe a insegurança de ser repreendido ou mesmo a falta de percepção de que questionar é saudável

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – “Às vezes um ‘não’ bem dito é melhor que um ‘sim’ mal dito”. O ditado lembrado pelo diretor-executivo da Ricardo Xavier Recursos Humanos, Marshal Raffa, traduz um comportamento recorrente entre muitos profissionais brasileiros, o de dizer “sim” para todos os pedidos, projetos e ordens dados pelos líderes.

O comportamento de aceitar é grave, mas aceitar sem questionar é ainda pior, na avaliação do especialista. “Dizer ‘sim’ é sempre prejudicial para o profissional e para a empresa”, ressalta.

Na avaliação de Raffa, os profissionais não são totalmente culpados por esse comportamento. “É uma questão cultural. Na América Latina, temos dificuldades de dizer não”, afirma. Por trás da aceitação, existe a insegurança de ser repreendido ou mesmo a falta de percepção de que questionar é saudável. “O conflito bem conduzido é positivo”, completa.

Aprenda a investir na bolsa

Os prejuízos
Um profissional submisso a tudo o que lhe é apresentado é tão inseguro quanto a sua atuação que aceita, sem questionar, qualquer ideia e projeto, ainda que eles sejam questionáveis.

Para Raffa, a submissão total e inquestionável evita o desenvolvimento do profissional e piora algumas características inerentes a quem se comporta dessa forma. “Esse profissional que diz sempre ‘sim’ não tem opinião própria, nem iniciativa e é pouco criativo”, afirma.

Com isso,o prejuízo não é só dele. “A empresa, no fim, terá um profissional limitado, que não se desenvolve e não tem autocrítica para melhorar seu trabalho”. Por consequência, os resultados da empresa  acabam ficando comprometidos diante de tanta submissão.

Isso porque um profissional que diz “sim” sempre tem uma lista de projetos para tocar. Para cumprir os prazos, ele trabalha além da conta e acelera o ritmo. Resultado: o trabalho perde qualidade.

Aprendendo a dizer “não”
Para resolver o problema, a alternativa é dizer “não”. “Ele tem que ter bom senso”, diz Raffa. E como fazer isso sem passar a impressão de que está desinteressado? Argumentando. “Não é somente dizer ‘não’, é dizer ‘não’ e ‘porque’”, ressalta.

Nessa hora, até o líder tem papel importante. “Ele tem que se posicionar e sinalizar o problema para o profissional”, acredita. A ideia, segundo Raffa, é incentivar o profissional a ter ideias, a questionar. Só assim ele poderá, diante de uma solicitação, dizer “e se fizermos de outra forma?”.

PUBLICIDADE

Para chegar a esse ponto, porém, o profissional precisa aprender a dizer “não”. “O profissional que tem dificuldades de dizer ‘não’ tem de trabalhar esse medo e sair da zona de conforto para ver que as mudanças são inevitáveis”, completa o especialista.