Veja os cinco piores problemas da web em 2009 para funcionários e empresas

Segundo especialistas, os profissionais e as empresas devem ficar atentos ao uso da internet no trabalho

SÃO PAULO – Ter acesso à internet no ambiente de trabalho pode facilitar algumas atividades, mas os profissionais devem ficar atentos aos problemas que o seu uso pode trazer para as empresas.

Segundo o presidente da Online Brasil, Ezequias Sena, as empresas devem analisar e entender os principais problemas do uso da internet e, desta maneira, tentar buscar a solução para evitar que erros causados por colaboradores tragam problemas danosos.

Os cinco piores problemas
De acordo com Sena, os cinco piores problemas da internet que mais prejudicaram os colaboradores e as empresas em 2009 foram:

  1. Spam contaminado: grande parte dos spams contém algum tipo de software destinado a se infiltrar em um sistema alheio de computador, de forma ilícita, com a intenção de causar dano ou roubo de informações, denominado de malware.
  2. Fim da segurança absoluta nas redes sociais: segundo Sena, no ambiente virtual, nenhuma pessoa está segura a ponto de se descuidar e as empresas devem tomar medidas contra ações de criminosos.
  3. Malware para viagem: até pouco tempo atrás, era necessário ter um grau elevado de conhecimento técnico em programação para criar o malware. Porém, atualmente, basta ter habilidade para encontrar kits que ensinam como fazer o malware ou encontrar os que estão praticamente prontos. A melhor forma de prevenção é manter o diálogo entre funcionários e empresas, evitando a abertura de e-mails suspeitos.
  4. Aumento de crimes virtuais: esse assunto tem mobilizado a indústria de TI (tecnologia da informação) e as autoridades para buscar soluções e medidas de prevenção e punição. “Apesar dos grandes passos que vêm sendo dados, a ameaça já se espalha para a telefonia móvel, exigindo reforço das redes”, afirmou Sena.
  5. Abuso de imagem: este ano houve um aumento do uso da internet para divulgação de imagens e vídeo. Este fato pode ser considerado uma boa notícia dependendo das circunstâncias em que a imagem foi acessada. Mas para pessoas que tiveram suas imagens expostas de maneira abusiva, o avanço mostrou que ainda é necessário adotar medidas de punição mais rígidas.

PUBLICIDADE