Veja como organizar seu plano de carreira desde o vestibular

Consultora destaca o que é importante ter no currículo com um ano de formação, cinco e sete anos

SÃO PAULO – “O que você quer ser quando crescer?” Certamente, quando criança você respondeu essa pergunta. Mas em questão de planejamento de carreira, o quanto antes você pensar, planejar e traçar metas, as possibilidades de sucesso serão maiores.

“Uma carreira não é feita de cargos que você ocupou na empresa, mas sim de habilidades e conhecimento, ou seja, o que eu fui capaz de resolver, que resultados eu apresentei, durante o tempo em que eu fui diretor de uma companhia?”, ressalta a consultora da DBM, Irene Azevedo.

Faculdade

Ela afirma que a pessoa precisa planejar a sua carreira na época do vestibular. “Atualmente, as organizações são pressionadas por resultados. Assim, se você não fizer o que gosta, você não irá aguentar a pressão. Portanto, não interessa se aquele segmento é o que vai crescer, o importante é fazer o que gosta.”

PUBLICIDADE

Depois de decidir o curso de graduação e ingressar em uma faculdade, Irene destaca que é hora de pensar em estágios.

Recém-formado

Após um ano de conclusão do ensino superior, a consultora alerta que é fundamental ter o conhecimento de línguas estrangeiras.

“Não adianta ter uma pós-graduação e não ter o inglês e o espanhol fluentes. Hoje, muitas empresas podem até não usar o inglês, mas cobram esse requisito nos seus processos de seleção, logo você pode perder uma boa oportunidade de emprego por não ter esse conhecimento”.

Formado há cinco anos

Com cinco anos de formado, Irene afirma que é importante ter no currículo uma pós-graduação ou um mestrado.

“Se você pretende um dia atuar na área acadêmica, esse é o momento de pensar em desenvolver conhecimento teórico, investindo em um mestrado. Mas, se o mundo acadêmico não faz parte dos seus planos, invista em uma pós-graduação lato-sensu”

Com diploma há sete anos

Agora, se você já concluiu o ensino superior há sete anos e têm os conhecimentos teóricos acima, na opinião de Irene, chegou a vez de fazer um MBA ou um doutorado. “Se você quer atuar no ramo acadêmico, o doutorado é importante. Caso contrário, procure fazer um MBA”.