Veja 10 cargos que mais faltam profissionais no Brasil

Brasil é o segundo país que mais empresas enfrentam dificuldade para encontrar profissionais, perdendo apenas para o Japão, cujo o indicador é de 81%

SÃO PAULO – Cargos técnicos são os que têm mais escassez de talentos no mercado de trabalho brasileiro atualmente. É o que revela a 7ª edição do Estudo Anual sobre a Escassez de Talentos do ManpowerGroup. 

Também faltam profissionais para ocupar cargos de ofício manual, engenheiro, motorista, operação de produção, contadores e profissionais de finanças, representantes de vendas, profissionais de TI (Tecnologia da Informação), operários e mecânicos. Conforme é possível verificar na tabela abaixo:

Cargos demandados no Brasil
20122011
1. Técnicos1. Técnicos
2. Trabalhadores de Ofício Manual2. Engenheiros
3. Engenheiros3. Motoristas
4. Motoristas4. Operários
5. Operadores de Produção5. Operadores de Produção
6. Contadores e Profissionais de Finanças6. Representantes de Vendas
7. Representantes de Vendas7. Secretárias e Assistentes Administrativos
8. Profissionais de TI8. Trabalhadores de Ofício Manual
9. Operários9. Mecânicos
10. Mecânicos10. Contadores e Profissionais de Finanças

Problema comum no mundo
A pesquisa identificou que 70% empregadores brasileiros encontram dificuldade em preencher funções e posições críticas dentro de suas organizações. O Brasil é o segundo país que mais empresas enfrentam dificuldade para encontrar profissionais, perdendo apenas para o Japão, cujo o indicador é de 81%.

PUBLICIDADE

“No Brasil, 71% das empresas se queixam da escassez de talentos, um número bastante alto que evoluiu desde as 2 últimas edições da pesquisa, onde em 2010 o índice foi de 64% e em 2011, 57%. O cenário de contratações atual é o oposto ao de alguns anos atrás em que faltava emprego e sobravam pessoas”, explica o country manager do ManpowerGroup, Riccardo Barberis.

Os dados revelaram ainda que o problema é comum a países como Bulgária (51%), Austrália (50%), EUA (49%), Índia (48%), Nova Zelândia (48%), Taiwan (47%), Panamá (47%), Romênia (45%), Argentina (45%), México (43%) e Alemanha (42%).