Valor médio das bolsas pagas aos estagiários cai 3,2% neste ano

Motivos são a queda no valor pago aos alunos do nível médio e a redução da jornada diária de trabalho, aponta Nube

SÃO PAULO – O valor médio da bolsa-auxílio paga aos estagiários brasileiros apresentou uma queda de 3,2% neste ano, em relação a 2009. De acordo com os resultados de pesquisa elaborada pelo Nube (Núcleo Brasileiro de Estágios), a média salarial dos estudantes no País é de R$ 683,33.

“Os motivos são a queda no valor pago aos alunos do nível médio e a redução da jornada diária dos estagiários de 8 horas para 6 horas”, afirma o presidente do Nube, Carlos Henrique Mencaci.

Intitulada “Valores pagos aos estagiários do Brasil”, a pesquisa entrevistou 16.328 estagiários de diferentes níveis, entre 22 de março e 23 de abril. O levantamento tinha como meta revelar a média de bolsa-auxílio paga por empresas de pequeno, médio e grande porte em 2010.

PUBLICIDADE

Nível de ensino
O estudo revelou uma queda acentuada, de 8,55%, na média salarial dos estudantes do Ensino Médio. A cifra ficou em R$ 385,00. Na avaliação do Nube, uma das causas é o artigo 17 da nova Lei do Estágio (11.788/08), que limita a contratação dos jovens desse nível em apenas 20%.

Segundo dados do Inep/MEC, existem no Brasil 8.337.160 estudantes deste nível e, segundo as bases da Abres (Associação Brasileira de Estágios), apenas 250 mil conseguem estagiar, o equivalente a 3% do total.

Bolsa no ensino superior
No balanço equivalente aos estudantes de nível superior, a média também apresentou queda, só que de 5,03% de 2009 para 2010. Ainda assim, a bolsa supera a do Ensino Médio, sendo de R$ 765,25.

Cursos como Engenharia, Relações Internacionais e Economia puxam a fila das áreas que propiciam mais rentabilidade financeira ao estudante. Na primeira, por exemplo, o estagiário pode receber até R$ 1.022,30 por mês.

Dos cerca de 5 milhões de alunos matriculados no Ensino Superior, apenas 650 mil estão empregados no estágio, o que significa que apenas 12,8% conseguem uma colocação.

Já para o nível superior tecnólogo, a média da bolsa-auxílio é de R$ 702,40, com um declínio de apenas 0,66% entre 2009 e 2010. Secretariado, com bolsa-auxílio de R$ 958,98, lidera o posto dos cursos que melhor pagam. Mecânica, com R$ 906,03, e Construção Civil, que paga R$ 896,95, estão logo atrás.

Crescente
Os cursos de nível médio técnico destoam da realidade das bolsas salariais. Do ano passado para cá, houve um aumento de 10,81% na média, atualmente em R$ 517,70.

Os cursos de Química, com R$ 693,51, Segurança do Trabalho, com R$ 685,31, e Construção Civil, com R$ 620,83, oferecem as melhores bolsas do mercado técnico.

Apesar de a pesquisa ter apresentado tamanha disparidade em relação às bolsas nos diferentes níveis estudantis, a analista de treinamento do Cedep (Centro de Desenvolvimento Profissional), Eva Samanta Buscoff, afirma que optar por determinada carreira visando somente o ganho financeiro não é uma boa ideia.

“A escolha da formação precisa respeitar as atividades e áreas com as quais haja verdadeiro interesse e afinidade. Seguindo esse caminho, o jovem terá muito mais motivação para frequentar aulas e aplicar o aprendizado à realidade da empresa”, diz ela.

Para Mencaci, os bons alunos sempre apresentarão relevância profissional nas empresas. “Atualmente, as empresas valorizam os jovens talentos, efetivando os melhores estagiários ainda durante o período acadêmico”.