Vagas para executivos, em São Paulo, crescem 5% em 2011

Os executivos mais procurados foram diretores/gerentes de vendas, comerciais, de logística, de produção e indústrias

SÃO PAULO – As oportunidades para executivos, em São Paulo, registraram crescimento de 5%, na comparação com 2010. Segundo um levantamento realizado pela Laerte Cordeiro Consultores em Recursos Humanos, em 2011, foram criadas 9.480 postos de trabalho, ante 8.990 vagas.

Por mês, a média de oferta de emprego ficou em 791. Ao analisar os semestres, o segundo foi mais aquecido no mercado de trabalho para executivos, com 5.030 vagas, ante 4.450 vagas no primeiro.

Os meses de maior oferta de empregos para executivos em 2011 foram maio, julho e outubro. Em contrapartida, os menores foram março, junho e dezembro.

PUBLICIDADE

Para a consultoria, apesar dos dados serem positivos, a criação de vagas ficou longe dos números alcançados em anos anteriores, como em 2006 (15.820), 2007 (13.250) e 2008 (13.200). “A grande explosão prevista para esta década, com pré-sal, PACs, Copa, Olimpíada e outros grandes fatores de desenvolvimento empresarial, ainda não produziu grandes alterações no mercado de trabalho para executivos”.

Áreas que mais ofertaram
Entre os setores que mais ofereceram vagas, estão indústria (57%), serviços (38%). O comércio ofertou apenas 4%. O setor que menos cobriu foi bancário/financeiro, com 1%.

Considerando as áreas, destacaram-se as de produção/técnica, incluindo engenharia (34%) e marketing/vendas (32%).

Já em finanças/controle, as vagas representaram 15%, assim como em serviços internos (Tecnologia da Informação, Recursos Humanos e Jurídico). Em seguida, aparece a área de gerência-geral, com 4%.

O estudo indicou ainda que os executivos mais procurados foram diretores/gerentes de vendas, comerciais, de logística, de produção, industriais, administrativos, de gerência-geral e de recursos humanos.

Sobre os segmentos empresariais que mais ofereceram empregos para executivos em 2011, estão engenharia, metalúrgico, de comércio, automóveis, autopeças, confecções, consumo de massa, embalagens e máquinas e equipamentos.