Usar sentimento no trabalho é bom, mas tome cuidado com rupturas emocionais

Segundo consultor, equipe com emoções positivas, como a alegria, tem maior produtividade e facilidade de aprendizado

SÃO PAULO – Frequentemente, é comum ouvir que a emoção atrapalha o ambiente corporativo. Entretanto, na opinião do consultor e autor do livro “Emoção, Conflito e Poder nas Organizações: Líderes estão Despreparados para Lidar com as Pessoas” (Editora Com Arte), Milton de Oliveira, o conceito precisa ser revisto.

“A emoção é a base da vida. Dessa forma, se uma equipe trabalha com alegria, que é uma emoção positiva, certamente ela será mais produtiva”.

O consultor destaca que as pessoas confundem emoção com ruptura emocional. “Se você tem um momento de ira durante o expediente de trabalho, isso é um descontrole natural da emoção, ou seja, uma ruptura emocional”, explica.

Benefícios da emoção

PUBLICIDADE

Oliveira alerta ainda que uma equipe com emoções positivas têm uma maior possibilidade de desenvolver laços afetivos. “Assim, ao invés de competir, os profissionais irão colaborar uns com os outros”.

Além disso, para o consultor, o profissional que atua na área que gosta com alegria (com emoção) aprende mais rápido.

Líder racional ou emocional

Muitas pessoas acham que o líder deve ser estritamente racional e deixar suas emoções de lado. Mas, na opinião de Oliveira, essa ideia é sem fundamento.

“Quando um líder não tem emoção, ele perde a intuição. Logo, se o profissional não tiver emoção, certamente ele não tomará a decisão mais adequada para aquele momento”.

O consultor finaliza indicando que o gestor só precisa ter um cuidado para não tomar uma decisão em momentos de ruptura emocional.