Um em cada três executivos já vivenciou problemas com funcionários nas redes sociais

Ainda assim, 92,4% deles acreditam que as redes sociais são capazes de gerar negócios, revela pesquisa

SÃO PAULO – Um em cada três executivos já vivenciou problemas com o comportamento de funcionários nas redes sociais. A informação é de pesquisa realizada pela Robert Half, divulgada na última terça-feira (18).

Ainda assim, aponta o levantamento, 92,4% dos executivos acreditam que as redes sociais são capazes de gerar negócios, sendo que 90% possuem perfil no Linkedin, cujo viés é profissional, com 85,5% utilizando a ferramenta para buscar emprego.

Considere ter mais de um perfil
Segundo a Robert Half, o uso cada vez maior das novas tecnologias por parte dos profissionais cria a necessidade de regras e comportamentos para estes ambientes.

PUBLICIDADE

Dessa forma, diz a empresa especializada em recrutamento, quem pretende utilizar o Facebook, por exemplo, para manter contato com colegas de trabalho, chefes e clientes, além de familiares e amigos, deve considerar se não é o caso de fazer um perfil pessoal e um profissional.

Isso porque, ao ter contato com pessoas da empresa, não é adequado postar coisas muito pessoais, como o que você comeu hoje ou qual bar vai durante a noite.

Boas práticas
De modo geral, quando se trata de redes sociais de natureza corporativa ou utilizadas como uma vitrine profissional, é interessante que o perfil esteja completo, com o resumo profissional, histórico e formação acadêmica.

Além disso, é interessante acrescentar realizações importantes para que as pessoas tenham ideia de suas qualificações; não deixar o perfil sem foto; e evitar postagens de assuntos triviais.

Por fim, procure não demorar em responder convites para ampliar a sua rede de relacionamentos, visto que tal atitude pode afetar sua imagem. O ideal é responder os pedidos em menos de 24 horas.