Pesquisa

Trabalho é motivo de estresse para quase metade dos brasileiros

Levantamento da Regus revela que 41% dos trabalhadores do País estão mais estressados neste ano frente a 2011

SÃO PAULO – Os brasileiros estão cada vez mais estressados com sua vida profissional. De acordo com um levantamento da Regus, que consultou 16 mil trabalhadores de todo o mundo, 41% dos colaboradores do País afirmam estar mais estressados neste ano do que no ano passado. E o pior, é que motivos para isso não parecem faltar.

Segundo a pesquisa, o trabalho (55%), as finanças pessoais (45%) e os clientes (38%) são alguns dos problemas citados pelos entrevistados.

“No Brasil, um em cada cinco trabalhadores descreve o estresse no trabalho como excessivo e esse problema não afeta somente os contratados, mas também os negócios”, diz o diretor geral da Regus no Brasil, Guilherme Ribeiro.

PUBLICIDADE

Segundo ele, os altos índices de estresse afetam o rendimento das equipes e, consequentemente, impactam no dia a dia da corporação, que passa a ter problemas com o afastamento de funcionários.

Os que mais sofrem
E ao que parece, os trabalhadores das pequenas empresas estão entre os consultados que mais sofrem do problema. Enquanto 41% deles se queixam do estresse causado pelos clientes, os profissionais das grandes empresas que relatam o mesmo problema correspondem a apenas 33%.

Já quando o assunto é a cobrança de atividades, a situação se inverte. “Enquanto nas pequenas empresas os colaboradores são menos cobrados pelos gerentes (21%), nas grandes a cobrança é maior (42%)”, informa o levantamento.

Para reduzir o problema
Como alternativa para reduzir o problema, a pesquisa sugere ainda que um certo grau de maleabilidade na realização do trabalho possa ser uma interessante maneira de diminuir o estresse ou, quem sabe até, de eliminá-lo. A opinião foi dada por 66% da mostra.

“Confirmando uma pesquisa anterior, 58% dos trabalhadores se sentem mais saudáveis com a adoção de práticas alternativas de trabalho”, acrescenta o executivo que lembra que meios flexíveis são mais baratos que os locais fixos de trabalho e ainda possibilitam outros benefícios aos trabalhadores e empresários, como a melhora da produtividade profissional.