EXPERT XP 2020 As oportunidades do mercado de renda fixa na visão das gestoras Augme, Canvas e Capitânia; assista

As oportunidades do mercado de renda fixa na visão das gestoras Augme, Canvas e Capitânia; assista

Justiça de SP

Trabalhador de SP ganha na Justiça correção do FGTS pelo INPC

O autor do processo alegou que desde janeiro de 1999 a TR deixou de ser um índice capaz de conferir atualização monetária às contas do FGTS

arrow_forwardMais sobre

SÃO PAULO – A Justiça de São Paulo determinou, pela primeira vez, a correção do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço) pelo INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor) em substituição à Taxa Referencial.

O autor do processo alegou que desde janeiro de 1999 a TR deixou de ser um índice capaz de conferir atualização monetária às contas do FGTS. Disse ainda que a taxa não se presta à atualização dos depósitos, pois sempre fica aquém da inflação, o que resulta em uma redução, ano a ano, do poder de compra do capital depositado.

Na decisão, o juiz federal Djalma Moreira Gomes, titular da 25ª Vara Federal Cível em São Paulo/SP, entendeu que a redação da legislação atual é contraditória. A lei determina que os depósitos do FGTS serão corrigidos monetariamente e a atualização se dará com base nos parâmetros fixados para atualização dos saldos dos depósitos de poupança

PUBLICIDADE

“A expressão ‘correção monetária significa exatamente o restabelecimento, a recomposição do valor da moeda para que ela mantenha, preserve, seu valor aquisitivo originário. […] Qualquer operação econômico-financeira de que não resulte nessa neutralização do processo inflacionário não significará correção monetária.”

O juiz disse ainda que o o índice escolhido pelo legislador não se revelar capaz de realizar a correção monetária dos depósitos, ou seja, se não conseguir recuperar o valor aquisitivo da moeda, o índice é inconstitucional e deverá ser desprezado e substituído por outro capaz de cumprir o que a Constituição exige.