Educação em revista

The Economist diz que universidades particulares do Brasil passam por “boom”

De acordo com a revista a chegada de instituições com fins lucrativos abriu caminho para a educação superior no Brasil

arrow_forwardMais sobre
Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – As universidades privadas do Brasil passam por um “crescimento explosivo”, segundo a revista The Economist. A reportagem afirma que estudantes e investidores têm lucrado neste cenário.

Segundo a matéria, grande parte dos alunos que estudou em escola particular fizeram curso superior em universidade pública. Os estudantes das instituições públicas ainda são mais brancos e mais ricos que a média e provavelmente frequentaram escolas particulares.

No entanto, a chegada de universidades particulares, com fins lucrativos, abriu caminho para a educação superior no Brasil. A revista avaliou dados de 2010, mostrando que de aproximadamente 2,4 mil universidades no País, apenas um décimo eram públicas, sendo que três quartos eram privadas, incluindo as cinco maiores.

Aprenda a investir na bolsa

Mercado de trabalho
A matéria aponta ainda que profissionais com curso superior ganham em média 2,5 vezes mais do que os que não estudaram e até cinco vezes que os que não terminaram o ensino médio. Esses valores são maiores até que os apresentados pela OCDE (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico), o grupos dos países mais ricos.

A matéria chama algumas das instituições particulares de “fábricas de diplomas”, com qualidade duvidosa. Segundo o Banco Mundial, ser formado em uma das universidades líderes pode levar os jovens a terem salários iniciais dobrados.

Públicas e cotas
Apesar do “boom” das instituições particulares, o texto diz que nenhuma delas tem o prestígio ou os recursos das universidades públicas, como a Universidade de São Paulo, que segue no topo dos rankings internacionais das melhores da América Latina.

Metade dos estudantes de ensino superior desiste antes de concluir o curso, diante de preocupações com dinheiro e das dificuldades educacionais. Segundo o texto esses fatores adiam a chegada de novos estudantes no ensino superior.

A revista ainda discute o sistema de aprovação de cotas nas universidades brasileiras. Segundo a reportagem, um especialista em educação da OCDE diz que a maneira de assegurar uma chance justa de entrada nas melhores universidades é oferecer educação de qualidade a todos.