Tempo de trabalho necessário para quitar dívida sobe para 9,57 meses

Em 2004, ele era de cerca de seis meses; volume de crédito cresce acima da massa salarial brasileira, revela economista

SÃO PAULO – Se, em 2004, eram necessários menos de seis meses de trabalho para liquidar todo o crédito tomado por pessoas físicas, em 2007, o período subiu para 9,57 meses (+60%), segundo estudo feito pelo economista Humberto Veiga (www.betoveiga.com).

“Isto significa que o volume de crédito está crescendo a uma taxa muito mais rápida do que a massa salarial brasileira”, disse. O estudo foi realizado com base em dados da Pesquisa Mensal de Emprego do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) e do Banco Central.

As regiões analisadas foram São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Porto Alegre, Salvador e Recife.

Crédito x Salários

PUBLICIDADE

De acordo com os dados, o crescimento da massa salarial, comparando os meses de novembro de 2004 e 2007, foi de 39%, saindo de R$ 18,7 bilhões para R$ 26,1 bilhões. No mesmo período, houve aumento do número de trabalhadores ocupados (+8%).

O volume liberado de crédito cresceu de 13% da renda dos trabalhadores em 2004 para 19% em 2007. “O crédito líquido está fazendo com que a massa de recursos disponíveis ao trabalhador cresça em torno de 19% mensalmente”, disse.

“Por outro lado, o volume de dívidas aumentou quase 60% (9,57 meses em vez de 6 meses) comparativamente ao salário da população”, completa.

Inadimplência

A inadimplência – operações em atraso de mais de 90 dias – estava em 7,42% do total de crédito concedido às pessoas físicas em janeiro de 2004. No mesmo período de 2007, ela subiu para 7,46%, mas caiu para 7,08% em janeiro deste ano.

“Não podemos fazer uma avaliação eficiente porque podemos perceber que estamos em um momento em que é possível tomar emprestado em um banco para pagar a outro, a famosa bicicleta. Em um momento de restrição que venha a ser adotado pelos bancos, esse número irá realmente aparecer”.