Desemprego baixo

Taxa de desemprego no Brasil é a menor desde 2002

Taxa anual fechou 2012 em 5,5%. Em dezembro foi de 4,6%, também o menor valor mensal da série histórica

arrow_forwardMais sobre
Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO  A taxa de desemprego nas seis principais regiões metropolitanas do País fechou o ano de 2012 em 5,5%: o menor percentual, desde o início da série histórica em 2002, conforme mostrou o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) em sua Pesquisa Mensal de Emprego, divulgada nesta quinta-feira (31). Este número foi 0,5 ponto percentual inferior ao acumulado de 2011, quando foi de 6%.

Considerando somente o mês de dezembro, o número também bateu recorde: de 4,6%. A taxa passou por queda de 0,3 ponto percentual em relação a novembro (4,9%) e permaneceu estável em relação ao resultado de dezembro de 2011, quando foi de 4,7%.

No que diz respeito à população desocupada, estimada em 1,3 milhão de pessoas em dezembro do ano passado: o número foi 6,1% menor que 2011, significando que o País teve 87 mil desocupados a menos em 2012. O IBGE também comparou os números ao ano de 2003, apontando que o contingente de desocupados caiu 48,7% até 2012, um total de 1,3 milhão de pessoas que passaram de desocupados para ocupados.

Aprenda a investir na bolsa

Regiões
Em dezembro de 2012, frente ao mesmo período de 2011, verificou-se queda em quatro das seis regiões analisadas, como mostra a tabela abaixo:

Local

Outubro de 2011

Outubro de 2012
Recife4,7%5,6%
Salvador7,7%5,7%
Belo Horizonte3,8%3,5%
Rio de Janeiro4,9%4,0%
São Paulo4,7%5,2%
Porto Alegre3,1%3,0%
Total4,7%4,6%

Ocupados
Em dezembro, a população ocupada (23,4 milhões) apresentou alta de 3,1% frente ao mesmo mês de 2011 e manteve estabilidade na comparação com o mês de novembro. Em 12 meses, o número de ocupados foi elevado em 703 mil pessoas, segundo o IBGE.

Sobre o perfil dos contratados, a pesquisa indica que o contingente de trabalhadores com carteira assinada (11,6 milhões) cresceu 3,6% em relação ao mesmo período de 2011, representando um adicional de 408 mil novos postos de trabalho formais.