Taxa de desemprego entre as mulheres é maior do que entre os homens

Pesquisa do Dieese marca o Dia Internacional da Mulher, porém revela que as mulheres enfrentam mais o desemprego

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – Às vésperas do Dia Internacional da Mulher, comemorado no dia 08 de março, o Dieese (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Econômicos) divulgou uma pesquisa em comemoração à data que diz respeito à situação das mulheres em mercados de trabalho metropolitanos.

A pesquisa levou em consideração as seguintes regiões: Belo Horizonte, Distrito Federal, Porto Alegre, Recife, Salvador e São Paulo. O período levantado inclui os anos de 2000, 2001 e 2002. No que se refere ao desemprego feminino, as taxas informadas na pesquisa revelam que o índice de desemprego permaneceu num patamar bastante elevado no período, o mesmo aconteceu com o nível de desemprego entre os homens.

Taxas de desemprego por sexo

Em 2002, o levantamento do Dieese mostrou que a taxa de desemprego total em Salvador foi a maior entre todas as regiões (27,3%) e Porto Alegre, a menor (15,3%). Intermediando estas regiões estão o Distrito Federal (20,3%), Recife (20,3%), São Paulo (19%) e Belo Horizonte (18,1%).

Aprenda a investir na bolsa

Do total de desempregados nas regiões analisadas as mulheres respondem por 52% deste total. Mais uma vez Salvador ficou com a liderança no que se refere ao desemprego feminino, registrando 29,9% em 2002, com variação de 2% no período 2000/2002. Por sua vez, Porto Alegre apresentou a menor taxa, 17,9% no ano passado.

Um dado interessante mostrou que em Belo Horizonte e no Distrito Federal o desemprego para as mulheres cresceu de forma mais acentuada do que para os homens. Em Belo Horizonte a variação da taxa de desemprego entre 2000/2002 foi de 4,5% para as mulheres, enquanto para os homens ela foi de -2,5%. No Distrito Federal o desemprego para as mulheres registrado foi de 3,6% no período, enquanto para os homens esta variação foi de 2,9%.

Em contrapartida, em São Paulo e Salvador o desemprego se deu de forma mais expressiva para os homens. Em São Paulo, no período analisado a variação do desemprego feminino foi de 6,2%, enquanto para os homens, a taxa foi mais elevada, de 9,3%. Já em Salvador enquanto a variação do desemprego feminino apontava para 2%, para os homens esta taxa era de 3,3%.

Diferença entre as taxas femininas e masculinas

As regiões de Recife e Porto Alegre registraram queda do nível de desemprego no período 2000/2002 com relação aos dois sexos. Para as mulheres a variação ficou em -1,3% e -8,7%, respectivamente. Já o desemprego dos homens apresentou um recuou maior em Recife (-3,3%) e menor em Porto Alegre (-7,7%).

De acordo com os dados do Dieese as taxas de desemprego feminino são superiores às masculinas em todas as regiões. No ano passado a diferença entre a taxa feminina e masculina na comparação com o ano de 2000 foi maior em Belo Horizonte, que passou de 3,8% para 5,1%; Distrito Federal, 5,% para 5,3%; e Recife, que subiu de 5,7% para 6%. Já em São Paulo, houve queda da taxa de 5,9% para 5,8%; Salvador, de 5,2% para 5%; e Porto Alegre, que caiu de 5,4% para 4,8%.