Supermercados registram queda no volume de vendas em março, revela Abras

Em comparação com março de 2003 a queda foi acentuada; frente a fevereiro, volume de vendas cresceu 5,65%

arrow_forwardMais sobre

SÃO PAULO – Em recente pesquisa divulgada pela Abras (Associação Brasileira de Supermercados), as vendas reais dos supermercados, quando deflacionadas pelo IPCA (Índice de Preços ao Consumidor – Amplo), caíram 2,86% em relação a março de 2003.

Em relação a fevereiro, contudo, houve um aumento de 5,76%, o que não reverteu a queda de 2,38% no primeiro trimestre do ano quando comparado com o mesmo período de 2003.

Vendas nominais cresceram em todas as comparações

Se analisarmos o desempenho das vendas em termos nominais, ou seja, considerando-se os efeitos da inflação, poderemos constatar que houve um crescimento tanto na comparação com igual período do ano anterior quanto com fevereiro, segundo os dados da Abras.

PUBLICIDADE

Dessa maneira, as vendas nominais apresentaram elevação de 6,25% na comparação com fevereiro, enquanto frente a março de 2003, a alta foi da ordem de 2,86%. Nos dados referentes ao primeiro trimestre, a alta acumulada é de 4,21%.

Reflexo do fraco desempenho da economia

De acordo com os analistas da Abras, o fraco desempenho da economia brasileira com altas taxas de desemprego e o baixo poder aquisitivo da população são as principais causas do piores resultados do setor de supermercados na comparação anual, considerando-se os dados sobre as vendas reais.

As altas taxas de juros também inviabilizam investimentos produtivos, encarecem o acesso ao crédito e ajudam a tornar o cenário ainda mais complicado para as vendas no varejo.