Sudeste concentra mais da metade dos assalariados do País, indica IBGE

Em São Paulo, está 29,8% do pessoal assalariado, enquanto em Minas Gerais está 10,4% e no Rio de Janeiro, 9,9%

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – A região Sudeste concentrava, em 2007, 52,1% da população ocupada assalariada do País, segundo indicou o Cadastro Central de Empresas 2007, divulgado pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) nesta quarta-feira (23).

Entre as regiões, o Nordeste possui a segunda maior concentração, com 17,6%, seguido pelo Sul, com 17,3%, Centro-Oeste, com 7,8%, e Norte, com 5,2%.

Em relação aos estados, as pessoas ocupadas assalariadas em São Paulo representam 29,8% do total, enquanto em Minas Gerais elas correspondem a 10,4%. Em seguida, aparecem Rio de Janeiro (9,9%), Rio Grande do Sul (6,4%) e Paraná (6,2%).

Maiores salários

Aprenda a investir na bolsa

Em 2007, 56,9% dos salários pagos foram para trabalhadores da região Sudeste. A região Sul, por sua vez, possuía uma participação de 15,9%, enquanto na Nordeste essa porcentagem era de 12,9%. Centro-Oeste e Norte possuíam participações de 9,6% e 4,7%, respectivamente.

Considerando os valores, o primeiro lugar fica com Centro-Oeste, onde os trabalhadores receberam em média 4,2 salários mínimos por mês. Logo após, estão o Sudeste, com média de 3,8 salários mínimos, Sul (3,2), Norte (3,1) e Nordeste (2,5). A média brasileira é de 3,4 salários mínimos por mês.

Entre as unidades da federação, o destaque ficou com o Distrito Federal, com uma média de 6,9 salários mínimos, mais que o dobro da média nacional. Em seguida, aparecem Roraima, com 4,2 salários mínimos, São Paulo (4,1), Amapá (4) e Rio de Janeiro (3,9).

População ocupada

Considerando o pessoal ocupado em geral, novamente o Sudeste concentra a maior parte, com 52,3%, seguido por Sul (18%), Nordeste (17,2%), Centro-Oeste (7,7%) e Norte (4,9%).

Já entre os estados, São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais representam juntos 50,3% do total do Brasil. Separadamente, o primeiro lugar é ocupado por São Paulo, com 30,1%. Nesse caso, a ordem é a mesma que a apresentada para o contingente de assalariados: o estado de Minas Gerais aparece em segundo, com 10,5%, seguido por Rio de Janeiro (9,7%), Rio Grande do Sul (6,8%) e Paraná (6,5%).