Sudeste concentra maior e menor pisos salariais: diferença é de 8,5 vezes

De acordo com o Dieese, no ano passado, as faixas eram de R$ 300 e R$ 2.975. Na média, total foi de R$ 542,28

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – Pode-se dizer que o Sudeste foi a região do País que apresentou maior volatilidade no que diz respeito a pagamentos no ano passado. Na localidade, segundo o Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos (Dieese), estavam os menores e os maiores pisos salariais: R$ 300 e R$ 2.975. Foi no mesmo espaço também que ficou concentrada a maior média do período: R$ 542,28.

Com isso, a diferença entre o maior e o menor piso salarial na região foi de 8,5 vezes – exatamente a média nacional. Conforme técnicos do instituto, em todas as demais localidades essa diferença superou três vezes.

Demais regiões

Em segundo lugar de maior diferença entre menor e maior pagamento está o Nordeste, com 5,05 vezes, resultante da diferença entre R$ 300 e R$ 1.766,43. Na região, o valor médio ficou em R$ 431,64 no ano passado.

Aprenda a investir na bolsa

Sul, Norte e Centro-Oeste ficaram com os seguintes valores:

RegiãoMaior pisoMenor pisoDiferença
SulR$ 350R$ 1.078,373,33
Centro-OesteR$ 310,20R$ 1.202,433,44
NorteR$ 318R$ 1.270,503,59

Fonte: Dieese

Média

Com isso, a média de pisos salariais foi de R$ 491,89 em 2006, com mínimo de R$ 300 e máximo de R$ 2.975. Por regiões, a menor média ficou a cargo do Nordeste, com R$ 431,64; seguido pelo Norte, com R$ 461,81.

Por fim, Sul e Centro-Oeste ficaram com, respectivamente, R$ 470,20 e R$ 480.