Substitutivo que eleva o salário mínimo para R$ 275 é aprovado pelo Senado

Por 44 votos a 31 e uma abstenção, o plenário do Senado aprovou o substitutivo; MP do mínimo causou divergência

SÃO PAULO – O substitutivo do senador César Borges (PPL-BA), que aumenta o valor do salário mínimo para R$ 275 foi aprovado no Senado Federal. A votação derrotou a Medida Provisória que reajustou o salário mínimo para os R$ 260 por 44 votos a 31 e uma abstenção.

Vitória da oposição

O relator do substitutivo, César Borges, afirmou que o Senado correspondeu à vontade da população brasileira. E agora, segundo ele, os deputados “vão refletir melhor e manter a vontade das ruas e aprovar os R$ 275”.

No mesmo sentido, o líder do PSDB no Senado, Arthur Virgílio (AM), comemorou a vitória da oposição. “Agimos com responsabilidade ao elevar o salário mínimo para R$ 275. Não brigamos para um valor maior. Mostramos nas discussões que havia fontes permanentes para arcar com os R$ 275, e era possível chegar a esse valor com responsabilidade. Confiamos na manutenção do valor pela Câmara”, disse.

Medida Provisória causa muita divergência

PUBLICIDADE

Líderes da oposição na Câmara entraram em ação e passaram o dia em busca de votos dos senadores. Nos últimos dias, o governo também agiu em busca de votos, inclusive com a participação do próprio presidente Lula e de vários ministros.

Entretanto, na avaliação dos líderes governistas, os 11 votos contrários aos R$ 260 fora fundamentais para a derrota do governo. “Não dá para ocultar uma coisa que, a cada dia, é mais óbvia, o governo não tem maioria no Senado. Até hoje, nós levamos isso aqui no braço”, afirmou o líder do PMDB no Senado, Renan Calheiros (AL).

Para se ter uma idéia da divergência causada pela MP, o senador Flavio Arns, que não seguiu a determinação do PT de aprovar o mínimo de R$ 260, justificou o seu voto com o argumento de que R$ 15 vão fazer diferença na vida de uma família que recebe apenas um salário mínimo. “Digo não aos R$ 260 para indicar a necessidade de retomarmos as discussões sobre a recuperação de renda dos brasileiros”, disse.

Já o senador petista Tião Viana (AC), mesmo votando a favor do governo, ocupou a tribuna minutos antes da votação para criticar a relação do Executivo com o Senado. “O nosso governo tem falhado na relação com o parlamento. A feição do Senado ainda é uma feição de centro, conservadora, o governo é minoria no seu dia-a-dia no Senado, e ele trabalha numa linha tênue de convencimento, de consolidação, de vitória a cada votação que nós temos”, afirmou.

Substitutivo segue para Câmara

Otimista, o líder do governo na Câmara, deputado Professor Luizinho (PT-SP), garantiu que a Câmara será responsável mais uma vez e vai manter os R$ 260 aprovados pelos deputados, quando rejeitaram por 266 a 167 o mínimo de R$ 275. “A opinião pública está acompanhando, e sabe que nós deputados estamos trabalhando com responsabilidade para continuar o crescimento e garantir a estabilidade fiscal. O valor de R$ 260 é que garante isso.

Vale destacar que agora o substitutivo vai para Câmara dos Deputados, porque a proposta original foi alterada pelos senadores. Se o valor de R$ 275 for aprovado pelos deputados, o presidente Lula deve vetar o texto.