Sua empresa quer te promover sem aumentar o seu salário? Saiba o que fazer

Colaboradores erram ao aceitar uma promoção sem entender as políticas da organização; bônus não deve substituir salário

Empty Leather Wallet

SÃO PAULO – A promoção enfim chegou e com ela a promessa de mais responsabilidades. A conquista, de fato, teria tudo para ser maravilhosa, mas isso, claro, se não fosse por um pequeno detalhe: aumento salarial que é bom, nada. Se pararmos para analisar certamente encontraremos muitos profissionais que já vivenciaram tal situação, mas será que todos sabem como agir quando a remuneração não vem?

De acordo com a consultora associada da Muttare, Roberta Yono Ebina, não. Segundo ela, alguns colaboradores acabam aceitando a proposta oferecida pela empresa sem analisar criteriosamente os termos da promoção. Com isso, mais tarde, muitos se arrependem e acabam se queixando dos termos exigidos pela corporação.

“Cada empresa possui uma política de remuneração. Por isso, os colaboradores devem analisar uma proposta e entender a razão desta política antes de tomar uma decisão. Depois de aceitar um termo, não é justo criticar a organização. O gestor deve ter maturidade em relação a isto”, diz a consultora.

PUBLICIDADE

Políticas organizacionais
Hoje, existem empresas que costumam adotar políticas como a exigida por lei, em que o colaborador recebe um aumento salarial a cada vez que tem um aumento de função ou responsabilidade e também aquelas que apresentam restrições salariais para os colaboradores que já tenham recebido um aumento em um período inferior a seis meses.

“Se a política da empresa é aumentar o salário quando se tem uma promoção, que se faça cumprir a política – isto demonstra integridade. Mas nem todas são assim, algumas apenas permitem um novo aumento após seis meses de trabalho em um cargo e, com isso, correm o risco de perder um bom profissional por conta da existência de uma regra inútil”, argumenta Roberta.

Outra prática pouco aceita pelos colaboradores é ainda a barganha com a remuneração variável. “As empresas compram desempenho com o uso de bônus e isso pode se tornar motivo de corrupção nas organizações”, diz a consultora da Muttare.

Segundo ela, não é raro, por exemplo, encontrar empresas que afirmem ao colaborador, que se ele não fizer uma atividade como o diretor espera, que o mesmo poderá ficar sem o seu bônus.

“A remuneração variável deve trazer o sentimento de justiça por um trabalho feito ou superado e não ser mecanismo de barganha para obrigar o colaborador a atuar de determinada maneira ou aguentar o chefe”, diz.

Negocie
Para quem não sabe, o salário base (recebido mensalmente) age como forma de, teoricamente, recompensar a pessoa que cumpre com as responsabilidades e metas do cargo que ocupa. já o bônus, não. Ele é uma das formas de remuneração variável adotadas para recompensar a pessoa que supera as responsabilidades ou metas comprometidas do cargo que ocupa.

PUBLICIDADE

Por isso, se um dia você for surpreendido por uma promoção em que sua remuneração virá apenas em forma de bônus, negocie! Lembre-se que o seu salário deve ser pago mensalmente de acordo com as exigências diárias de seu trabalho e que o bônus é apenas uma forma que a empresa terá de remunerá-lo pelo cumprimento das metas impostas pela organização.

“Uma empresa que adota essa postura pode estar tentando comprar o desempenho do colaborador. Não se deve usar a remuneração variável como causa para atingir algo, essa remuneração é uma consequência de desempenho excedido”, explica Roberta.

Novo emprego
E se por acaso o trabalhador perceber que a empresa não cederá aos seus argumentos ou que não pretende mudar a política de remuneração, a melhor decisão é sair da organização.

“Se ele deixar claro a todos a razão da sua não concordância, sua imagem não será afetada. Mas como a empresa irá lidar com a negativa do colaborador dependerá da liderança na corporação”, completa.