Setores fiscal e tributário passam por apagão de talentos, diz pesquisa

Segundo pesquisa do Conselho Fiscal Empresarial Brasileiro, 70% das empresas apontam o apagão um problema atual do setor

SÃO PAULO – Um levantamento realizado pelo Confeb (Conselho Fiscal Empresarial Brasileiro) revelou que os setores fiscal e tributário encontram dificuldades em contratar profissionais. Pela pesquisa, 70% das empresas afirmaram que o apagão de talentos é um problema atual do setor.

Outros 23% acreditam que a situação pode ser contornada, enquanto 6% disseram que o apagão de profissionais capacitados não existe.

Formação
A dificuldade em encontrar talentos para a empresa pode estar relacionada diretamente com a formação dos profissionais, já que apenas 1% dos entrevistados acredita que os executivos das áreas fiscal e tributária saem bem preparados da faculdade, possuindo todas as noções do setor, conseguindo se aprofundar e evoluir de acordo com o tema.

PUBLICIDADE

A maioria (62%) aponta que os executivos têm um preparo regular, ou seja, possuem boas noções básicas, mas apresentam dificuldade no aprofundamento do tema. Já 28% declararam que os executivos saem completamente despreparados.

Ao analisar a formação dos executivos da equipe, 73% disseram que seus profissionais são formados em Ciências Contábeis, 20% em Administração, 5% em Direito, 2% em Engenharia Civil e 1% em TI (Tecnologia da Informação).

Tempo de experiência
Para compensar a falta de qualificação, as empresas acabam recrutando pessoas que têm mais tempo de experiência na área. De acordo com os dados, 80% dos respondentes disseram que a experiência é o pré-requisito mais importante ao contratar executivos.

Outros 9% disseram que o curso superior é o fator mais importante. Já 6% apontaram cursos, workshops e treinamentos de que o candidato tenha participado, enquanto apenas 5% preferem profissionais inexperientes.