Setor de serviços lidera ranking de contratações, mostra consultoria

Levantamento da DBM aponta o setor de serviços como o mais aquecido desde 2009; engenharia e construção também se destacam

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – Levantamento da DBM apontou que, em termos de vagas preenchidas, o setor de serviços foi o que mais cresceu nos últimos três anos. Para se ter uma ideia, de acordo com a consultoria internacional em gestão, entre os clientes avaliados, o segmento preencheu 29,2% do total de vagas abertas em 2011, ante 22% em 2009 – o que representa um aumento de 7,2 pontos percentuais para o setor.

O crescimento também pôde ser observado em setores como o de engenharia e construção, atacado e varejo, segundo o estudo. Nestes casos, o percentual de progressão foi de 2,4 p.p. para as vagas de engenharia e construção e de 2,5 p.p. para o atacado e varejo.

O primeiro item passou de 3,3% em 2009 para 5,7% em 2011. E o segundo, de 0,8% em 2009 para 3,3% em 2011, detalha a pesquisa.

Aprenda a investir na bolsa

Bancos e consumo
Outros que também se destacaram foram os bancos, que, apesar de apresentarem uma queda em relação às vagas preenchidas no setor nos últimos três anos, ainda mantiveram uma posição favorável no ranking da DBM.

Os bancos conseguiram manter a segunda posição durante todo o período passando de 15% em 2009, para 11,1% em 2010 até chegar a 9,3% em 2011, informa.

O mesmo se deu com o setor de consumo. Na avaliação, o segmento saiu de um cenário desfavorável para atingir um ápice em 2010 e uma leve queda neste ano. No estudo, os produtos de consumo ocupavam 4,4% em 2009, 9,1% em 2010 e 8,7% em 2011.

Tecnologia
Outro que também se destacou neste ano, seguindo as tendências da globalização e também do consumo, foi o setor de serviços em tecnologia. Segundo o levantamento, tal segmento preencheu 9,3% das vagas ofertadas em 2011 – percentual ainda assim inferior ao observado em anos anteriores pela DBM.

Em 2009 essa categoria havia atingido 15%, mas caiu para 11,1% no ano seguinte.

A pesquisa
O estudo foi feito com executivos que passaram pela DBM em 2011, durante processos de transição de carreira. Há mais de 20 anos no Brasil, a companhia já atendeu mais de 10 mil executivos no País.

PUBLICIDADE