Segundo cenário da MCM, política fiscal poderá elevar o IPCA em até 60 pontos-base

Consultoria estimou superávit de R$ 115,1 bilhões em 2012, cerca de 0,6 p.p. abaixo dos 3,2% do PIB previstos para 2011

SÃO PAULO – Segundo um estudo da MCM Consultores Associados sobre os efeitos da política fiscal sobre a inflação, a redução da razão superávit primário/PIB (Produto Interno Bruto) em 2012 poderá ter impacto substancial de 0,6 ponto percentual, ou 60 pontos-base, na inflação acumulada no ano.

A consultoria utilizou o novo modelo de análise denomiando SAMBA, adotado no segundo semestre pelo BC e que teve destaque no Relatório Trimestral de Inflação, marcado pela preocupação do Governo com a redução dos gastos públicos no próximo ano.

Segundo o estudo, no caso de juro estável ao longo de quatro trimestres, o menor superávit primário faria com que o IPCA de 2012 se elevasse em 0,60 ponto percentual. Para chegar a esta conclusão, a consultoria tomou como base um cenário próprio para 2012, que espera um superávit de R$ 115,1 bilhões, ou 2,56% do PIB, cerca de 0,6 p.p. abaixo dos 3,2% do PIB previstos para 2011.

PUBLICIDADE

“O BC trabalha com um conjunto de hipóteses em que a meta do superávit primário será cumprida, utilizando o método SAMBA. Se o BC não responder à piora do quadro fiscal, a inflação tende a se elevar em 0,6 p.p.”, explicou Fernando Genta, economista da MCM, em entrevista.