Sebrae-SP: faturamento das micro e pequenas empresas cai 2,8% no 1º semestre

Considerando os resultados obtidos em junho deste ano e no mesmo mês de 2005, a queda chega a 6,8%

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – O faturamento real das micro e pequenas empresas paulistas registrou queda de 2,8% nos seis primeiros meses do ano, frente ao mesmo período de 2005. Em valores, a perda chega a R$ 3,3 bilhões.

Considerando os resultados obtidos em junho deste ano e no mesmo mês de 2005, a queda chega a 6,8%, o que representa perdas de R$ 1,1 bilhão. Frente a maio, o faturamento das MPEs caiu 5%.

Os dados são do Sebrae-SP (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas), que divulgou sua Pesquisa Mensal de Conjuntura nesta quinta-feira (03).

Análise regional

Aprenda a investir na bolsa

Em junho, o melhor desempenho entre as regiões do Estado, na comparação com o mesmo mês do ano passado, coube ao Grande ABC, uma vez que as MPEs daquela região viram sua receita real cair apenas 0,2%.

Já os pequenos negócios da Região Metropolitana de São Paulo, do Interior e da Capital paulista registraram variações no faturamento de -10,3%, -2,4% e -12,7%, respectivamente.

Na comparação com maio de 2006, todas as regiões analisadas tiveram forte retração no faturamento real: 6,4% no Interior; 3,9% na Capital; 3,7% na Região Metropolitana de São Paulo; e 2,6% no Grande ABC.

Faturamento por setor

De acordo com a pesquisa, o faturamento do setor de Serviços caiu 7,9% em junho, em relação ao mesmo mês de 2005. Já o Comércio teve 8,2% de queda real na receita e a Indústria apresentou 1,8% de retração no período analisado.

Frente a maio, o setor de Serviços teve 6,1% de crescimento em seu faturamento real. A Indústria também apresentou desempenho positivo, de 0,6%. O Comércio por sua vez, teve a maior queda já verificada em um mês de junho, de 12,5%.

Salários

Os rendimentos dos trabalhadores das micro e pequenas empresas sofreram recuo de 2,5% em relação a maio. Entretanto, na comparação com o sexto mês do ano passado, houve alta de 2,4%, descontando a inflação do período.

PUBLICIDADE

O interior do Estado apresentou a maior redução da folha de pagamentos em junho, de 6,5% frente a maio. Já as demais regiões apresentaram as seguintes variações: -0,2% (Grande ABC); +0,9% (RMSP); e 1,2% (Capital).

Sobre a pesquisa

A Pesquisa de Conjuntura, realizada mensalmente pelo Sebrae-SP, analisa o desempenho de 2,7 mil micro e pequenas empresas, amostra representativa no universo das MPEs da indústria da transformação, comércio e serviços da capital, região metropolitana de SP, ABC e interior.