Saúde: médico explica quais as doenças que têm relação com o trabalho

As profissionais estão relacionadas à atividade; as de trabalho são decorrentes do ambiente corporativo

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – Enquadradas como acidente de trabalho, as doenças profissionais e doenças do trabalho têm significados diferentes, segundo explicou o médico psiquiatra forense e coordenador da Visum Medicina Forense, Daniel Martins de Barros.

De acordo com ele, a doença profissional decorre diretamente das atividades exercidas, fazendo parte de uma lista elaborada pelo governo federal. Por outro lado, as doenças do trabalho são resultado das condições a que o profissional está submetido no ambiente corporativo, constando ou não na lista oficial federal.

Em qualquer um dos casos, a doença deve ser considerada acidente de trabalho, desde que comprovada por meio de perícia médica.

O dilema das doenças mentais

Aprenda a investir na bolsa

O médico explica que, quando consideradas as doenças psicológicas, é mais difícil relacioná-las ou não com o trabalho. “Diferente da grande maioria das doenças, os transtornos mentais em sua quase totalidade não apresentam uma causa clara e bem definida”, disse.

Um funcionário com depressão pode ter desenvolvido a doença por vários fatores. Entretanto, há uma lista do governo que mostra as doenças que estão relacionadas com o trabalho, até que se prove o contrário, na qual, está inclusa a depressão.

O Nexo Técnico Epidemiológico ainda determina que, se um trabalhador em uma área fica deprimido e nesta área há muitas pessoas com depressão, a doença estará relacionada ao trabalho, mesmo que ele tenha perdido a esposa e este seja o real motivo da depressão.

“Nesse caso, se ele alegar acidente de trabalho, caberá à empresa recorrer para provar que o nexo não é válido”.

Necessidade de perícia

Por esse motivo, o médico acredita que as perícias psiquiátricas serão cada vez mais necessárias. “Resta a questão da grande carência de médicos psiquiatras entre os peritos do INSS [Instituto Nacional do Seguro Social], e a pouca familiaridade dos médicos do trabalho com as doenças mentais, carentes que são de causas claras”.