Sarney não acredita em mudança do salário mínimo

De acordo com o presidente do Senado, não deve haver nada que modifique a política de correção acordada entre o governo de Lula e os sindicatos

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – O presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), não acredita que possa haver alguma mudança no salário mínimo, já que a política de reajuste para 2011 é baseada na inflação de 2010 e no PIB (Produto Interno Bruto) de 2009, que foi nulo.

Devido ao crescimento nulo de 2009, os sindicalistas reivindicam um salário mínimo de R$ 580 e o PSDB, principal partido de oposição, de R$ 600, segundo a Agência Brasil.

“O salário mínimo foi calculado nessa base e não acho que tenha qualquer coisa que possa modificar a regra acordada entre o governo do presidente Lula e os sindicatos”, afirmou Sarney.

Aprenda a investir na bolsa

Itamar
O ex-presidente da República e atual senador, Itamar Franco (PPS-MG), deve fazer um pronunciamento sugerindo que o então candidato à Presidência no ano passado, José Serra (PSDB), compareça à Comissão de Assuntos Econômicos para explicar quais medidas seriam tomadas para que o mínimo fosse reajustado para R$ 600, caso ele fosse eleito.

Sobre a iniciativa de Itamar Franco, Sarney afirmou que os congressistas têm de se debruçar sobre os números do orçamento de 2011, para só então propor qualquer alteração.

“Não podemos arbitrar um valor sem condições orçamentárias. Se desestabilizarmos a economia, isso repercutirá de imediato na classe trabalhadora”, concluiu Sarney.