São Paulo: bancários esperam nova proposta da Fenaban

Caso não seja feita até quarta-feira (04), bancários de São Paulo farão greve por tempo indeterminado

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – Os bancários do estado de São Paulo esperam por uma nova proposta da Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) sobre o reajuste salarial da categoria, até a próxima quarta-feira (04). A declaração foi feita pelo presidente do Sindicato dos Bancários de São Paulo, Luiz Cláudio Marcolino.

Caso a proposta não seja apresentada, eles iniciarão uma greve por tempo indeterminado na próxima quinta-feira (05).

Negociações

Os sindicalistas e a Fenaban já estão na sexta rodada de negociações. Na última quarta-feira (27), 279 agências e centros administrativos pararam de funcionar e 34 mil bancários não trabalharam. “A greve de 24 horas feita esta semana serviu para homogeneizar e fortalecer os bancários”, disse o presidente da entidade.

Aprenda a investir na bolsa

Enquanto os empresários oferecem reajuste salarial de 2%, os trabalhadores afirmam que a proposta não repõe a inflação de 2,85% registrada entre setembro de 2005 e agosto deste ano. Os bancários desejam aumento real de 7,05% e participação dos lucros de um salário, somados a R$ 1,5 mil e 5% do lucro líquido. A quantia deve ser distribuída de forma linear entre os funcionários.

Rio de Janeiro

No Rio de Janeiro, os bancários já iniciaram greve por tempo indeterminado a partir desta quinta-feira (28). Estimativas afirmam que um terço das agências aderiram à greve e 70% dos funcionários estão parados. De acordo com o presidente dos bancários do Estado, Vinícius de Assumpção, a proposta da federação é “muito provocativa”.

A categoria pretende reajuste salarial com iguais condições aos sindicalistas do estado de São Paulo. Segundo Assumpção, a proposta da Fenaban é de reajuste de 2% e parcelas de 80% do salário, R$ 800 e mais R$ 500 adicionais, como participação nos lucros.

Pernambuco

Os sindicalistas do estado do Pernambuco, que estavam em greve há dois dias, pretendem reforçar o movimento no corredor financeiro da capital e seguir com a paralisação por tempo indeterminado. No estado, 36 agências não funcionaram. Dos 5,6 mil funcionários, 4,2 mil aderiram ao movimento.

O diretor do Sindicato dos Bancários, Leonardo Espínola, disse que a população poderá realizar as operações bancárias em lotéricas, bancos postais ou pela internet.
Com informações da Agência Brasil.