Mínimo

Salário para empregado doméstico deve subir 11,75% no Estado de São Paulo

Governo do Estado de São Paulo espera aprovação de proposta que visa aumentar o salário mínimo

SÃO PAULO – A partir de 2015, o salário mínimo dos empregados domésticos do Estado de São Paulo deverá subir 11,75%, passando de R$ 810 para R$ 905. Na última segunda-feira (1), o governador Geraldo Alckmin encaminhou à Assembleia Legislativa projeto de lei que aumenta o valor estadual.

Além disso, irão valer dois pisos, um de R$ 905, para categorias como domésticos, motoboys e cobradores de ônibus (que atualmente têm mínimo de R$ 810) e um de R$ 920, para trabalhadores como higiene e saúde, agentes técnicos em vendas e representantes comerciais e técnicos em eletrônica (que ganham hoje R$ 835; um ganho de 10%).

Atualmente, o piso paulista em vigor é dividido em três faixas com valores de R$ 810, R$ 820 e R$ 835, conforme a categoria profissional. Vale lembrar que somente os profissionais com carteira assinada são beneficiados com esses valores e aqueles que não têm piso específico seguem o salário mínimo nacional de R$ 724.

PUBLICIDADE

A estimativa do governo paulista é que cerca de 8 milhões de trabalhadores de diversas categorias sejam beneficiadas com o novo piso salarial. “Estamos mandando para Assembleia Legislativa em regime de urgência, e a partir de 1º de janeiro já entra em vigência. É um reconhecimento de São Paulo, terra de trabalhadores, terra de oportunidades. E isso também ajuda a economia. As conquistas dos trabalhadores refletem em toda a sociedade”, afirmou o governador.

Salário mínimo nacional
Em agosto, o governo federal entregou ao Congresso projeto de Lei Orçamentária Anual que prevê que o salário mínimo de 2015 seja reajustado para R$ 788,06, representando uma alta de 8,8%.