Salário mínimo: presidente explica porque o aumento não foi maior

Rombo na Previdência Social, dívida com aposentados e reserva para investimentos futuros justificam o novo mínimo

arrow_forwardMais sobre
Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – Depois da decepção da população brasileira com o aumento de R$ 20 no salário mínimo, anunciado na última quinta-feira, dia 29 de abril, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, afirmou na segunda-feira, dia 03 de maio, que o governo vai criar as condições para recuperar definitivamente o poder aquisitivo do salário mínimo.

De acordo com o presidente, a justificativa para o pequeno aumento do salário foi o rombo da Previdência Social, pois, somente este ano registrou-se um déficit de R$ 31 bilhões. “Foi por isso que fizemos a reforma da Previdência Social, para corrigir esse rombo que a Previdência tem”, afirmou.

Dívida com os aposentados compromete aumento

Aprenda a investir na bolsa

Ainda nesse sentido, o presidente disse que a valorização do salário será realizada com responsabilidade, pois o governo também não pode aumentar a dívida que a Previdência já tem com os seus aposentados no valor de R$ 12,4 bilhões, herdada do mandato FHC. Caso o governo não tivesse que pagar essa dívida, poderia destinar o dinheiro para um aumento mais significante do mínimo, afirmou Lula.

Vale destacar que essa quantia será paga aos aposentados que entraram com processo reivindicando o prejuízo que tiveram com a falha na conversão para a URV (Unidade Real de Valor) dos seus benefícios, em 1993. Para tanto, será feito um acordo com os aposentados para que o pagamento seja parcelado, completa.

Para piorar a situação que impede o aumento do salário mínimo, Lula ressalta que a Previdência tem um passivo de R$ 200 bilhões. Segundo o presidente, são pessoas que não concordam com o pagamento de alguma contribuição e recorrem à Justiça.

Porque o salário mínimo não pode ser maior?

Lula disse ter consciência de que o salário mínimo é pequeno e que tentou resolver isso aumentando o salário-família. O objetivo, segundo ele, é privilegiar a pessoa em função das suas necessidades. “Afinal, aqueles que têm filhos menores de 18 anos de idade, aqueles que precisam de mais ajuda, são aqueles que precisam ganhar um pouquinho mais”, afirmou.

Para o presidente, o fato de o governo ter reservado algum dinheiro para investir em habitação, saneamento básico e geração de parte dos empregos necessários nas regiões metropolitanas, também é responsável pelo reajuste irrelevante do salário mínimo.