RADAR INFOMONEY Petrobras vai se transformar na nova máquina de dividendos da Bolsa? Assista ao programa desta 6ª

Petrobras vai se transformar na nova máquina de dividendos da Bolsa? Assista ao programa desta 6ª

R$ 998

Salário Mínimo: governo volta atrás e reduz previsão de aumento

Estimativa foi atualizada em nota técnica no Projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias

arrow_forwardMais sobre

SÃO PAULO – O governo publicou na última terça-feira (5) uma nota técnica no Projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias do próximo ano, em que revisa a sua estimativa para o salário mínimo em 2019, de R$ 1.002 (em abril) para R$ 998. Atualmente, o salário mínimo está em R$ 954. 

Com a nova estimativa, o governo espera deixar de gastar R$ 1,21 bilhão em 2019, visto que segundo a publicação, cada R$ 1 de aumento no salário mínimo gera uma repercussão fiscal de R$ 303,9 milhões ao ano, sendo 243 milhões referentes aos gastos do INSS. Ao mesmo tempo, o aumento de R$ 44 representará um acréscimo de mais de R$ 13,4 bilhões nos gastos públicos . 

Para realizar o cálculo do salário mínimo, o governo leva em consideração o resultado do Produto Interno Bruto (PIB) de dois anos antes (alta de 1%) e a variação do INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor) do ano anterior – que só será possível saber no começo de 2019. 

De acordo a nota técnica, a revisão do valor ocorre devido à nova estimativa de 3,3% (antes 3,8%) do INPC para 2018, que é utilizado como referência para a correção do salário mínimo no ano que vem. Além do resultado do PIB e da inflação, também está embutido uma compensação pelo reajuste do salário mínimo deste ano, que ficou abaixo da inflação medida pelo INPC.

Vale lembrar, que este ano é o último em que vale a fórmula atual, conforme a MP que a instaurou em 2015. A partir de 2019, o cálculo provavelmente será outro e dependerá do candidato eleito nas Eleições de 2018. 

Quer investir melhor o seu dinheiro? Abra uma conta na XP