Salário mínimo deveria ser de R$ 2.065,47, aponta Dieese

Valor mais de quatro vezes superior ao vigente deveria ser aplicado em setembro, para custeio de despesas básicas

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – No mês de setembro, o brasileiro precisava de um salário mínimo de R$ 2.065,47 para poder arcar com suas despesas básicas, de acordo com o Dieese (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos).

Diante do valor mínimo de R$ 465, que está vigente no Brasil desde fevereiro deste ano, aquele que é considerado o necessário é mais de quatro vezes maior.

O salário mínimo necessário é o que segue o preceito constitucional de atender às necessidades vitais básicas do cidadão e de sua família, como moradia, alimentação, educação, saúde, lazer, vestuário, higiene, transporte e previdência social, sendo reajustado periodicamente para preservar o poder de compra.

Queda ao longo do ano

Aprenda a investir na bolsa

Em julho do ano passado, o piso deveria ser de R$ 2.178,30, o maior valor já calculado pelo Dieese. Nesta época, o mínimo vigente era de R$ 415. Confira o movimento do salário mínimo vigente e o necessário neste ano:

MêsSalário vigenteSalário necessário
JaneiroR$ 415R$ 2,077,15
FevereiroR$ 465R$ 2.075,55
MarçoR$ 465R$ 2.005,57
AbrilR$ 465R$ 1.972,64
MaioR$ 465R$ 2.045,06
JunhoR$ 465R$ 2.046,99
JulhoR$ 465R$ 1.994,82
AgostoR$ 465R$ 2.005,07
SetembroR$ 465R$ 2.065,47

Fonte: Dieese

De acordo com a coordenadora da Pesquisa da Cesta Básica do Dieese, Cornélia Nogueira Porto, o valor do mínimo necessário sobe à medida que o preço da cesta básica aumenta. Para os próximos meses, o que se espera é que os valores não devem aumentar muito.

“Temos muita variação de produtos que são sazonais, que é o caso da batata, do tomate e da banana. Então, a hora que começar a safra desses produtos, o preço deles deve cair. A inflação está sob controle, não há nada que indique nem uma alta nem uma queda muito marcantes”, disse.