Salário: especialista dá dicas de como reconhecer se a remuneração é justa

Melhor a fazer é analisar a troca de benefícios existente entre colaborador e superior, explica especialista

SÃO PAULO – Certamente você já se perguntou se o seu salário é justo e provavelmente chegou a uma conclusão negativa. Injustiça? Incompetência? Nem sempre.

Segundo o coach executivo e de equipes, conferencista em desenvolvimento humano e diretor da UP Treinamentos & Consultoria, Carlos Cruz, lamentar o pagamento recebido não agrega qualquer tipo de valor à carreira de um profissional, pelo contrário, torna-se um empecilho para o desenvolvimento de atividades.

Dessa forma, diz ele, o melhor a fazer é analisar a troca de benefícios existente entre colaborador e superior. Em outras palavras, se o que é produzido é o suficiente para ser remunerado como gostaria.
Para isso, pense nas seguintes questões: estou me dedicando ao máximo às minhas atividades? Tenho realmente me comprometido a solucionar os problemas da empresa? “Se todas a respostas forem positivas, é justo que o reconhecimento financeiro seja equivalente ao desempenho profissional”, afirma.

O que fazer?

PUBLICIDADE

Após a análise, se ainda assim, o trabalhador se sentir injustiçado, a atitude ideal é evitar a ansiedade em excesso por salários altos e criar, com novos projeto e alternativas, oportunidades.

Assim, avalia Cruz, é importante ter visão de futuro, refletir sempre e procurar maneiras de criar um relacionamento de confiança e credibilidade com os membros da equipe de trabalho.

“O que cada profissional busca ao longo de sua carreira é obter excelentes resultados, que o levem a um crescimento contínuo. Porém, as evoluções não se dão do dia para a noite. É preciso passar por algumas experiências antes de alcançar posições de alta confiança. Devemos, portanto, valorizar a etapas que fazem parte do caminho rumo ao sucesso”, explica.