Salário dos admitidos na Indústria é menor que o dos demitidos, segundo Senai

Em 2005, remuneração dos novos empregados girava em torno de 84,3% do salário que era pago aos demitidos

SÃO PAULO – Os salários dos trabalhadores admitidos são inferiores aos dos demitidos. A constatação está no estudo Geração do Emprego Industrial nas Capitais e no Interior, divulgado nesta quinta-feira (12) pelo Senai (Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial).

Rendimento não segue tendência da oferta de empregos

De acordo com a pesquisa, que mapeou a geração de empregos na Indústria entre 2000 e 2005, apesar do aumento da oferta de trabalho em todo o Brasil, em especial em 2004 (que gerou só na Indústria de Transformação 1,09 milhão de vagas), os salários não seguiram a mesma tendência.

Segundo o Senai, entre 2000 e 2004, o salário dos empregados admitidos girava em torno de 80% e 90% dos proventos dos demitidos, mas no ano passado essa média estava em 84,3%. No interior, onde a geração de emprego no setor é maior, os novos contratados ganhavam 86,5% da remuneração dos dispensados.

PUBLICIDADE

Essa diferença, para o coordenador do estudo, João Luiz Saboia, significa que os empregados demitidos ganham mais porque já estão há mais tempo na empresa, portanto, com mais experiência que os admitidos.

Esse dado, contudo, também significa que as empresas trocam constantemente de funcionários para reduzir os custos com salários, garante Saboia.

Salários no interior e na capital

A remuneração média dos trabalhadores admitidos nas capitais é superior à do interior, informa o Senai. Em 2004, os novos admitidos nas capitais recebiam cerca de 2,3 salários mínimos, enquanto no interior a média era de 1,9 salário mínimo.

“Esses números mostram que os menores salários pagos no interior são um dos atrativos para as empresas se instalarem longe das capitais“, afirma o coordenador da pesquisa.