Saiba quando o Pós-MBA é uma boa opção para capacitação

Cursos que visam atualização de profissionais com MBA atualizam tecnicamente, mas é preciso definir caminhos da carreira

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – MBA (Master Business Administration), especialização, mestrado, extensão, intensivos e pós-MBA. Muitas vezes, o excesso de possibilidades de capacitação deixa os profissionais confusos na hora de escolher a melhor forma de agregar novos conhecimentos ou se atualizar sobre práticas na sua área de atuação.

O primeiro passo para acertar na capacitação é a definição das metas de carreira por parte do profissional. Somente conhecendo onde cada um quer chegar, conhecendo suas habilidades, certificados, conhecimentos e competências, é possível saber que tipo de curso se enquadra na sua busca. A avaliação é do presidente da Sociedade Brasileira de Coaching, Villela da Matta.

O especialista alerta que muitos profissionais, equivocadamente, fazem o caminho inverso na rota capacitação-carreira, perdendo tempo e dinheiro. “A escolha não pode ser de frente para trás. Os cursos, conhecimentos, capacitações não podem ser realizados visando ganhos que não serão aplicados de forma concreta. Muito do que se absorve em um curso desses, se não aplicado, se perde ou se esquece”, avalia.

Aprenda a investir na bolsa

Momento
Entre as modalidades de educação e capacitação, pode-se afirmar que a mais recente são os chamados Pós-MBA. São cursos de pós-graduação, para atualização, voltados para profissionais que concluíram um curso de MBA, mas desejam se aprofundar em determinado tema ou assunto. Têm um formato mais flexível e duração reduzida, para se adaptarem aos moldes das carreiras de quem os busca.

O coordenador da área de Pós-MBA da FIA (Fundação Instituto de Administração), Lindolfo Albuquerque, explica que, embora trata-se de um curso para ser realizado após o MBA, a ementa é bem distinta. “Em vez de uma grade, o programa é definido com sistema de créditos, ou seja, para cada tipo de atividade, o aluno destina um número de créditos, e de acordo com as necessidades de aprendizado o executivo evolui sua formação”.

Na FIA, os alunos contam com o suporte de tutores, espécie de “guias”, que ajudam a construir um caminho de conhecimento que atenda exatamente a demanda do executivo. Além do plano individual, os profissionais podem optar por participação em seminários, fóruns, conferências e até viagens internacionais.

Apesar de reconhecer a necessidade de constante busca por conhecimento por parte dos profissionais, Villela da Matta aponta que, antes de tomar a decisão de entrar em um novo curso de MBA, pós-graduação ou até atualizar-se via pós-MBA, o profissional deve se perguntar, “o que exatamente de novo eu busco e esse curso pode me oferecer?”. A avaliação é que muitas vezes o conhecimento proporcionado por escolas de gestão não é exatamente novo ou interessante para a realidade do aluno.

Segundo o presidente da Sociedade Brasileira de Coaching, muitas vezes em função do alto valor investido pelos alunos de cursos como os de Pós-MBA, eles acabam nutrindo uma expectativa muito grande de retorno, que pode não se concretizar. “Por isso, a importância de o executivo traçar seus objetivos e, a partir daí, ser orientado para alcançá-los”, defende. 

Perfil
Albuquerque ressalta que o preço dos cursos de pós-MBA é semelhante ao dos cursos de MBA, com a diferença de possuir uma carga horária bastante menor. “Vejo que o aluno busca o pós-MBA com mais foco, para atualizar um conhecimento, incrementar uma experiência. Como propõe uma abordagem mais específica, tem um nível mais aprofundado de alunos, geralmente em cargos de gerência ou direção”, analisa.

PUBLICIDADE

Poucas instituições oferecem cursos de pós-MBA no mercado brasileiro e, na avaliação do coordenador do pós-MBA da FIA, essa realidade não deve sofrer grandes alterações no futuro. “É um curso que, além de demandar altos custos, tem um público relativamente menor que o dos MBAs. Não creio em um boom como aconteceu com os MBAs recentemente”, projeta.