Saiba o que realmente justifica um aumento de salário

Primeiro passo de funcionário, antes de negociação salarial, é realizar análise da própria carreira, diz professor da Veris

SÃO PAULO – Entre as mais difíceis situações que um profissional pode enfrentar dentro de uma empresa, está o pedido de aumento de salário. E, sem boas razões para convencer o chefe, o pedido de alta na remuneração pode ficar mais complicado ainda.

O primeiro passo de qualquer funcionário, antes de sair para um negociação salarial, é realizar uma análise da própria carreira. Dono da recomendação, o professor de Gestão em Recursos Humanos da Veris IBTA, Cristiano Luiz Rosa, ressalta a importância da avaliação pessoal.

“Ao fazer uma autoavaliação, o profissional poderá se criticar, além de analisar se as metas pré-estabelecidas foram cumpridas. Esse processo serve para a captação de informações que serão utilizadas na argumentação com o chefe”, explica o especialista. Feito isso, o ideal é conversar com pessoas de confiança – coach ou familiares – para repercutir a ideia de aumento de salário. É bom, durante esses encontros, já apresentar os mesmos argumentos que serão direcionados ao chefe.

PUBLICIDADE

Território
É fundamental que a situação do profissional perante a empresa seja favorável. Segundo a analista de recursos humanos da Global Network, Mônica Veridiano, objetivos traçados na contratação devem ter sido superados, não basta participar do crescimento da organização, tem que superar expectativas.

“Para merecer um aumento é preciso provar esse merecimento. Uma boa dica é pegar dados do crescimento da empresa, aumento do número de clientes, do faturamento e mostrar como o seu trabalho foi importante para estes resultados. Também é possível mostrar a evolução da sua equipe e novas ideias que você propôs e que deram certo”, afirma a analista.

Para Rosa, é importante também visualizar o momento pelo qual a empresa passa. Investigar se o orçamento da empresa está positivo, se as metas foram ou estão próximas de serem alcançadas, pois não adianta reclamar sem condições de ser atendido.

Segundo o professor da Veris, vale a pena, ainda, relembrar os últimos feedbacks dados pelos superiores. Nos últimos meses, por exemplo, se o profissional recebeu retornos negativos, será mais difícil ele se munir de argumentos convincentes. Ponto importante também é a conversa com o chefe, que deverá acontecer em um local reservado.

Motivos
Motivos pessoais, como ‘meu custo de vida aumentou’, jamais devem ser utilizados como justificativa para o pedido, já que a empresa não tem nada a ver com problemas pessoais de seus funcionários. Da mesma forma, ações que constituem obrigações profissionais devem ser excluídas da lista.

“Chegar no horário, realizar tarefas de sua responsabilidade e nunca faltar ao trabalho são apenas requisitos básicos para ser visto com bons olhos pela liderança, mas não servem como argumento para ganhar mais”, considera a especialista da Global Network. Ela observa que, se o motivo para pedir aumento foi o recebimento de propostas de outras empresas, oferecendo salários mais altos, isto deve ser esclarecido durante a conversa, mas não deve nunca ser usado como chantagem.

“Caso a empresa não possa cobrí-la, verifique se ela pode investir em seu crescimento profissional, através de cursos, treinamentos e MBA (Master Business Administration), por exemplo”, acrescenta Mônica. Rosa, da Veris, tem a mesma opinião. Ao invés de misturar a vida pessoal, o correto é atribuir itens como área de trabalho valorizada, bom desempenho e qualificação na argumentação ao chefe. Outro ponto importante é evitar comparação com demais colegas, já que cada um tem uma competência diferente da do outro.

Observação
Antes de lançar a ideia de aumento ao chefe, descreve Rosa, o colaborador pode traçar uma estratégia para se algo não sair como o previsto, como ter o aumento negado, por exemplo. “Caso a empresa ou chefe o convença que o momento não é de ajuste, não faça escândalo ou recue na sua produção, mas continue igual. Um pedido de aumento é sempre um alerta para que o chefe veja a aspiração daquele colaborador em ganhar mais”, diz Rosa.

Porém, se a resposta do chefe não for plausível ou os pedidos tenham sido negados sucessivamente, talvez seja a hora de repensar a carreira dentro daquela companhia.