Saiba o que fazer quando seu antecessor era muito querido pela equipe

Importante é ser justo e sincero, mostrar equilíbrio, buscar apoio na equipe, ajudar os colegas e manter foco nos resultados

SÃO PAULO – Você é novo na empresa. Logo no primeiro dia de trabalho, identifica um clima hostil por parte da equipe, mas não entende o motivo. Poderia ser sua performance, que deixa a desejar? Impossível, não houve tempo suficiente para que eles pudessem analisar seu trabalho. Poderia ser sua falta de carisma, seu jeito de ser? Talvez.

Com o tempo, entretanto, descobre a verdade: o profissional que você veio a “substituir” era extremamente querido por todos. A equipe não apenas está desmotivada com a saída dele como também está fechada, não quer saber de novos colegas.

Evitando o prejuízo

Para evitar a resistência da equipe na hora de recepcionar um novo funcionário, o responsável pelo departamento de recursos humanos, ou o superior, deve falar a verdade ao comunicar a saída de seu antecessor. Isto é, a justificativa precisa ser transparente, mesmo que o profissional em questão tenha sido demitido, ou ainda que tenha saído por estar insatisfeito com a empresa, até para evitar comentários de corredor.

PUBLICIDADE

Além disso, é preciso explicar qual é o perfil de profissional que a organização buscou e ajudar nessa transição. “É necessário deixar claro que o novo funcionário está alinhado com os objetivos da empresa”, recomenda o sócio da Steer Recursos Humanos, Ivan Witt.

Já ao recém-contratado, seja ele líder ou não, cabe conversar com os demais, avisar que seu objetivo não é substituir ninguém e dispensar um tratamento perspicaz às pessoas, com zelo e muito jogo de cintura, sempre lembrando de ouvir o próximo.

“Quem chega sempre quer marcar seu território, mas é de bom tom realizar uma reunião, elogiar o trabalho que já foi feito e dizer que gostaria de dar continuidade às boas idéias implementadas pelo seu antecessor. Entretanto, sempre mantenha o enfoque nas diretrizes da empresa e o que ela espera de você”, aconselha o especialista.

Medo de rejeição

Saiba que você não tem o dever de ser tão carismático quanto seu antecessor nem de conquistar a simpatia de todos. O importante é ser justo, mostrar equilíbrio, ser sincero, buscar apoio na equipe, ajudar os colegas e manter o foco nos resultados pretendidos pela organização.

“Não tente forçar a barra e seja você mesmo. Mostre competência, deixe claro que veio para somar, trabalhe em grupo, busque apoio – e dê apoio -, tenha uma postura de aprendiz e seja humilde”. Essas são as últimas dicas de Witt a quem enfrenta o desafio de “substituir” alguém que deixou marcas na equipe.