Saiba o que dizer aos colegas e parentes que foram demitidos

Segundo especialista, no caso do colega demitido, é fundamental se mostrar disposto a ajudar na recolocação profissional

SÃO PAULO – A notícia da demissão de um colega pode surpreender o profissional. Geralmente, o demitido fica chateado com a situação e pode até mesmo reagir de maneira ruim. Nestes momentos, é difícil encontrar as palavras certas para dizer.

Para o diretor-executivo da Ricardo Xavier, Marshal Raffa, a melhor maneira de agir é dar um feedback, mostrando porque ele acredita que o colega foi demitido, em quais momentos ele errou, ou em que situações não atingiu as expectativas da empresa.

O colega deve se sentir à vontade para dar este retorno, pois como trabalharam juntos, ele acompanhou o desenvolvimento do trabalho. Vale destacar que a pessoa tem uma percepção diferente dos fatos de quem está deixando o emprego. 

PUBLICIDADE

“A maioria dos casos de demissão ocorre por causa do comportamento e não por erros técnicos. Neste momento, a melhor coisa é a veracidade”, diz.

Disposição para ajudar
Outra dica do especialista é que o profissional se mostre disposto a ajudar na recolocação do colega, seja por indicação de vagas de emprego ou até mesmo para ler o currículo do colega.

Outra medida importante é sempre manter o contato com o demitido, pois futuramente o profissional pode precisar do antigo colega para conseguir uma recolocação ou até mesmo um contato importante para seu trabalho ou carreira.

Dentro de casa
Quando a demissão foi de um membro da família, o apoio é fundamental para que a pessoa consiga superar a situação e consiga uma nova oportunidade. Raffa explica que os chefes de família são os que reagem da pior maneira neste momento.

Segundo ele, alguns se envergonham e se sentem culpados, enquanto outros ficam tão desesperados que acabam assuntando os filhos e a mulher/marido. “Alguns estão em março, e acabam dizendo aos filhos que, no final do ano, eles não terão presentes de Natal. Eles esquecem que até o final do ano, faltam alguns meses”, diz.

Como conselho, Raffa indica que a família respeite o momento do profissional e que não fique cobrando se ele está procurando emprego e perguntando, diariamente, como tem sido a sua busca por uma nova colocação.

PUBLICIDADE

Além disso, o demitido não pode se isolar das reuniões familiares, pois é uma ótima oportunidade de ativar no networking. Lembre-se que algum parente pode indicar alguém do mercado ou alguma empresa que possa interessar. Se o demitido não quiser ir a alguns eventos, a família deve incentivá-lo.

Por fim, o especialista afirma que os parentes não devem dizer ao profissional “aproveite este período para descansar e recarregar as baterias”, pois estar desempregado não é a mesma coisa que estar de férias. “Se antes, ele trabalhava oito horas na empresa, agora, ele terá de trabalhar o mesmo período para arrumar um emprego”, finaliza.