Saiba mais sobre a Pesquisa Industrial Mensal de Emprego e Salário do IBGE

A pesquisa que teve início em 1968 investiga aproximadamente 5.500 plantas industriais espalhadas pelo País

SÃO PAULO – Diante da impossibilidade de prever o futuro, resta aos agentes econômicos tomarem decisões de investimentos, produção e consumo baseados apenas em suas expectativas acerca do que deverá acontecer com a economia do País e do mundo. Contudo, estas expectativas não se formam aleatoriamente e quanto maior a quantidade de informação disponível, maior será a capacidade dos agentes de projetarem resultados futuros.

Neste sentido, diversas instituições e órgãos ligados ao governo realizam inúmeras pesquisas sobre vários segmentos da economia. Em linha com esta necessidade, o IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – um dos principais órgãos do governo na elaboração de pesquisas econômicas, responsável inclusive pela mensuração do PIB (Produto Interno Bruto), divulga mensalmente, entre outros indicadores, a Pesquisa Industrial Mensal de Emprego e Salário (PIMES).

Um quadro do emprego e do salário

A pesquisa fornece indicadores de curto prazo referentes ao comportamento do emprego e dos salários do setor industrial, bem como informações sobre pessoal ocupado assalariado, admissões, desligamentos, número de horas pagas e valor da folha de pagamentos, tanto em termos nominais, ou seja, valores correntes, quanto em termos reais, deflacionados pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA).

PUBLICIDADE

Ao apresentar, tanto numa perspectiva nacional como regional, a evolução, no curto prazo, de algumas variáveis relacionadas ao mercado de trabalho industrial, a pesquisa permite aos agentes realizarem inferências acerca da economia, já que o nível de emprego e renda tem impacto direto sobre consumo, que por sua vez, podem estimular ou desestimular a produção e, conseqüentemente, os investimentos.

Além de abranger 18 segmentos industriais, a pesquisa é realizada nos Estados do Ceará, Bahia, Espírito Santo, Minas Gerais, Rio de Janeiro, São Paulo, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul, nas Regiões Norte, Centro-Oeste, Nordeste, Sudeste e Região Sul.

Dados são preliminares

A amostra da pesquisa tem como referência informações do Cadastro Central de Empresas do IBGE (CEMPRE) e considera empresas que estão dedicadas principalmente à produção industrial, que apresentam pelo menos cinco pessoas ocupadas assalariadas. Ademais, a investigação é realizada em cerca de 5.500 plantas industriais.

Entretanto, é importante destacar que os índices apresentados na pesquisa são preliminares estando, portanto, sujeitos à retificação caso algum participante da pesquisa alterar seus dados históricos de maneira que possa influenciar os índices divulgados.

Pesquisa teve início em 1968

A série atual da PIMES teve início em dezembro de 2000 e, além dos indicadores publicados serem comparados ao índice do mesmo mês do ano anterior, há também a divulgação de dados acumulados desde janeiro de cada ano comparados ao mesmo período do ano anterior, e a comparação de índices acumulados nos 12 meses com os 12 meses imediatamente anteriores.

Vale lembrar que para as variáveis pessoal ocupado assalariado, número de horas pagas e valor da folha de pagamento real, em nível nacional, para os segmentos da indústria geral, indústrias extrativas e indústrias de transformação, divulga-se também a comparação com o mês imediatamente anterior com ajuste sazonal.

De acordo com o IBGE, a pesquisa teve início em 1968 e na ocasião era denominada Pesquisa Industrial Mensal – Dados Gerais, até que em 1997 passou a ser chamada Pesquisa Industrial Mensal – Emprego, Salários e Valor da Produção. Porém, a partir de 2001 a pesquisa foi reformulada e deixou de levantar informações referentes ao valor da produção industrial, quando recebeu a denominação que carrega até hoje.