Saiba como conciliar o MBA internacional com o casamento e a família

Dica da sócia da escola preparatória para o ingresso em MBAs internacionais, MBA House, é criar planejamento para o curso

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – Administrar casamento ou relacionamento, cuidados com filhos e a necessidade de convivência em família muitas vezes inviabiliza a realização de um MBA (Master Business Administration) internacional.

É esse problema – a conciliação entre essas duas necessidades distintas de muitos executivos – um dos tópicos cada vez mais trabalhados na escola preparatória para o ingresso em MBAs internacionais MBA House. “No caso de a pessoa querer fazer um MBA no exterior com a família participando da empreitada, as decisões naturalmente não estarão restritas às decisões de carreira e preferencias pessoais do candidato, pois terão de englobar o projeto familiar também”, diz a sócia da MBA House, Vivianne Wright. 

A principal dica da consultora é que o profissional que pretende ir para o exterior se cerque de informações, cuidados e orientações para a definição das escolhas, fazendo com que a experiência ofereça êxito, sem comprometer as relações familiares. Vivianne cita alguns casos atendidos pela MBA House, que demandaram diferentes soluções. “Já tivemos casos de casais em que a esposa recebeu uma bolsa para cursar seu PhD na Boston University e, portanto, seu marido buscava um MBA nas cercanias. Ele foi preparado por nós e acabou sendo aceito no MBA do MIT (Massachusetts Institute of Technology), escola que dispensa comentários”, relata.

Aprenda a investir na bolsa

Outro caso atendido pela empresa envolve a presença de filho. “Também tivemos um aluno da MBA House que escolheu cursar seu MBA em Stanford pois a universidade ofereceria um ambiente favorável tanto em relação à infraestrutura quanto ao clima ameno para ele levar a esposa e filho de dois anos de idade”, compartilha.

A empresária acrescenta outra possibilidade nesse contexto: “Também é possível que um casal decida passar pela experiência de cursar um MBA juntos. Existem várias escolas de negócio de renome que ‘entendem’ as vantagens de um casal fazer um MBA junto. Isso permite a eles se desenvolverem juntos, sem que um tenha que pausar sua carreira enquanto o outro estuda, privilegia a troca de experiencias e até chega a ‘duplicar’ o aprendizado, pois o que vejo é que geralmente casais optam por realizarem matérias complementares”, explica.

Aproveitamento 
Mesmo optando por uma dessas soluções, no entanto, é preciso ter consciência que o aluno não terá o mesmo tempo para dedicar à família que ele costumava ter em outro contexto. “Esses programas de MBA são, em sua maioria, muito intensos, porém estimulantes ao mesmo tempo. Digo sempre ao acompanhante do aluno que ele ou ela verá seu parceiro cansado, porém feliz, e isso precisa ser apoiado”, recomenda Vivianne.

As soluções propostas pela MBA House são customizadas, o que garante que diferentes perfis de casais, profissionais e famílias tenham acesso a soluções distintas. “Este trabalho, que começa com uma visita à nossa escola para conversar sobre as vontades de carreira e vida do casal, se transforma em um projeto que dura de seis meses a um ano de preparação que tem como resultado a ida do candidato com sua família para o programa de preferência de todos os envolvidos”, explica Vivianne.

Ela acrescenta que, se as famílias conseguirem estruturar e organizar um caminho adequado, podem tirar mais de um curso do que o convencional. “O fato dos outros membros da família estarem por perto já traz maior tranquilidade para o aluno de MBA se concentrar e ter um melhor aproveitamento ao longo do curso, pois este costuma demandar uma grande parte do dia do aluno. As escolas se preocupam em ter uma estrutura completa para atender os acompanhantes e filhos  dos alunos. Há os clubes dos “partners” ou “significant others” onde estas pessoas podem fazer sua própria rede de contatos e planejar um número imenso de atividades ao longo do programa de MBA”, conta a especialista.