Responsabilidade social beneficia funcionário; veja ações de empresas do Brasil

Segundo pesquisa, dentre medidas praticadas, estão as relacionadas com qualidade de vida

SÃO PAULO – Cientes de que a responsabilidade social também é uma oportunidade de crescimento, as empresas têm investido cada vez mais em programas sustentáveis. No entanto, não é somente a companhia que ganha com a iniciativa, mas também os funcionários. E, aqui no Brasil, a principal medida tomada é com relação à qualidade de vida.

De acordo com pesquisa realizada pela Grant Thornton International, com 7.800 empresas de 34 países, em resposta à pergunta “quais ações sua empresa fez no ano passado?”, 83% dos brasileiros entrevistados disseram que permitem horário de trabalho flexível. Os dados foram divulgados nesta quinta-feira (28).

Funcionários ganham…

Responsabilidade social, além de significar promover a qualidade de vida melhor entre os funcionários, representa dar oportunidade aos jovens para ingresso no mercado de trabalho, medida apontada por 72% dos entrevistados. Em relação aos profissionais, a pesquisa ainda mostrou atitudes como promoção da igualdade e saúde, de acordo com a tabela abaixo:

MedidaProporção
Permitir horário de trabalho flexível83%
Promover a igualdade e a diversidade74%
Contratar estagiários/aprendizes/fornecer experiência72%
Promover a saúde dos funcionários67%

PUBLICIDADE

Fonte: Grant Thornton International

De acordo com o diretor da área de serviços especializados da Terco Grant Thornton, Roberto de Lacerda, o empresário brasileiro está buscando transparência e isso está se refletindo no modo como ele interage com os públicos. “E as empresas sabem que, se não agirem agora, terão um futuro incerto”.

E a sociedade também!

A pesquisa revelou que 79% das empresas fazem doações para causas comunitárias, outras 75% evitam desperdício e 72% promovem sistema de energia suficiente.

Os dados ainda mostram que 58% participam de atividades na comunidade, 52% trocam produtos e serviços para reduzir impacto ambiental, metade delas ajuda outros empresários a melhorar a performance e 39% usam produtos e serviços locais, comércio ético ou produtos orgânicos.