Rendimento do FGTS fica 28% abaixo da inflação desde 1991

Enquanto a TR ficou acumulada em 32,42% no período, o INPC foi de 41,75%. Em reais, perda foi de R$ 46 bilhões

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – O rendimento real do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) ficou negativo desde 1991. Pesquisa realizada pela organização não-governamental FGTS Fácil mostrou que, tomando como base a inflação oficial do País voltada às menores faixas de renda, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), a perda foi de 28,77%, ou em reais, de R$ 46 bilhões.

O FGTS rende, anualmente, 3% de juros, mais a variação da taxa referencial (TR). Os juros são ganhos reais, enquanto que a TR tem o intuito de garantir a atualização monetária, como forma de manter o poder aquisitivo e restituir perdas inflacionárias.

Rentabilidade

De acordo com o levantamento, desde 1991, quando a TR passou a ser utilizada para corrigir os ganhos do fundo, sua rentabilidade ficou acumulada em 32,42%. O INPC, por sua vez, ficou em 41,75%, o que mostra a perda de 28,77% na possibilidade de ganhos.

Aprenda a investir na bolsa

Em relação a outros índices inflacionários, a diferença foi maior. Tomando como base o Índice Geral de Preços do Mercado (IGP-M), a perda foi de 63%, ou de R$ 100 bilhões. No caso do Índice de Preços ao Consumidor (IPC), da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe), a rentabilidade foi 36% menor, resultando em perdas de R$ 57 bilhões.

Para fazer os cálculos, o instituto utilizou como base um saldo estimado em R$ 160 bilhões.