Renda total das domésticas cresce 66% em nove anos, diz Data Popular

Além de ganharem mais, profissionais têm mais tempo para o lazer e mais dinheiro para investir em estudos

SÃO PAULO – Em nove anos, a renda total das trabalhadoras domésticas cresceu 66%, passando de R$ 25,9 bilhões em 2002 para R$ 43 bilhões em 2011. Os dados são de pesquisa realizada pelo Data Popular e divulgada nesta quinta-feira (14).

Entre os anos de 2002 e 2011, afirma o instituto, as domésticas brasileiras conquistaram nível mais elevados de escolaridade, mais horas de lazer para passar com a família e amigos, maior remuneração pelo trabalho e mais liberdade financeira para a compra de produtos e aplicações financeiras.

Dias trabalhados
Há nove anos, 49,6% das domésticas trabalhavam mais de cinco dias na semana, enquanto neste ano o percentual das profissionais que comprometem seis ou sete dias semanalmente caiu para 38,1% do total de trabalhadoras.

PUBLICIDADE

Em 2011, 30,8% das trabalhadoras atuam seis dias por semana e 7,3% exercem suas funções durante sete dias. Em 2002 o cenário era diferente, sendo que o número das que trabalhavam seis dias era de 39,1% e sete dias, de 10,5%.

Em compensação, o número de trabalhadoras que atuam uma vez por semana aumentou de 3,9% em 2002 para 5,3% em 2011.

Quantidade de domésticas por dia
Dias trabalhados por semana20022011
3,9%5,3%
26,7%9,8%
39,7%13,4%
44,7%5,9%
525,4%27,5%
639,1%30,8%
710,5%7,3%

Tempo de trabalho
Com menos dias trabalhados, as domésticas brasileiras estão com mais tempo livre. Enquanto em 2002 a média de horas de trabalho semanal era de 39 horas, em 2011 chega a 35 horas.

Estudo
Com mais tempo livre e maior remuneração, as domésticas brasileiras têm investido mais em educação. Enquanto em 2002 apenas 12,7% tinham frequentado ao menos uma série do Ensino Médio, em 2011 a proporção subiu para 23,3%.

Apesar de representar uma fatia bem menor, a parcela das que ingressaram no Ensino Superior praticamente dobrou em nove anos, passando de 0,7% em 2002 para 1,3% em 2010.