Renda média do trabalhador paulista volta a cair em julho, aponta Seade/Dieese

Após dois meses de crescimento, renda dos trabalhadores ocupados (-0,4%) e assalariados (-2,0%) recuou em julho

arrow_forwardMais sobre

SÃO PAULO – O Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Sócio-Econômicos (Dieese), em parceria com a Fundação Seade, divulgou nesta terça-feira (28) a Pesquisa de Emprego e Desemprego em que revelou o comportamento do rendimento do trabalhador no mês de julho.

Após dois meses de alta, o salário médio dos trabalhadores ocupados e assalariados da RMSP – Região Metropolitana de São Paulo registrou queda no sétimo mês do ano. Vale lembrar que estes são os salários pagos em agosto.

De acordo com o estudo, o rendimento médio dos trabalhadores ocupados caiu 0,4% frente a junho, equivalendo a R$ 1.008. A renda dos assalariados também caiu 2% no mesmo período, passando a valer R$ 1.047. Em contrapartida, na comparação com julho de 2003, os rendimentos dos ocupados e assalariados cresceram 4,9% e 1,3%, respectivamente.

Renda subiu apenas para trabalhadores do Comércio

PUBLICIDADE

Para os assalariados do setor privado, na comparação mensal, houve queda da renda na Indústria (-4,4%) e no setor de Serviços (-1,2%). Por outro lado, a renda dos trabalhadores do Comércio aumentou no mesmo período (2,1%). Refletindo este cenário, os assalariados do setor privado passaram a receber 2,1% a menos de junho para julho.

Entre os assalariados, os com carteira de trabalho assinada tiveram seus ganhos reduzidos em 3,0%, alcançando uma renda de R$ 1.087 em julho; e os sem carteira assinada apresentaram aumento de rendimento de 2,4%, chegando a um salário de R$ 688. Por sua vez, os empregados autônomos tiveram seus ganhos elevados em 3,2%, chegando a R$ 731 em julho.

Finalmente, na relação anual, entre julho de 2004 e o mesmo mês em 2003, o rendimento médio dos assalariados com carteira assinada cresceu 0,9%, os dos sem vínculo empregatício permaneceram estáveis e os dos autônomos elevaram-se em 11%.