Renda familiar dos empreendedores é de R$ 4.376,31, aponta Sebrae

Segundo o levantamento, a média de investimento inicial é de R$ 64 mil e o faturamento anual, de R$ 442.812,17

SÃO PAULO – A média da renda familiar mensal dos micro e pequenos empreendedores é de R$ 4.376,31, revela a pesquisa “Sebrae: Contribuição à Criação de Novas Micro e Pequenas Empresas”, realizada pelo Sebrae e Instituto Vox Populi.

Segundo o levantamento, divulgado na última quinta-feira (05), a maioria dos empreendedores nascentes formais é formada por homens (62%) e a idade média para ambos os sexos é de 36 anos.

Família e escolaridade

Conforme revela o Sebrae, 62% dos micro e pequenos empreendedores são casados e 27% são solteiros.

Em relação à escolaridade, a maior parte dos empreendedores nascentes (44%) tem curso médio, enquanto 37% apresentam diploma de nível superior. Além disso, 57% dos entrevistados não têm curso técnico, contra 43% que o fizeram.

Maioria atua no Comércio

Dos empreendimentos nascentes, a maior parte atua em comércio (48%), seguido de serviços (32%) e indústria (20%), sendo que a média de investimento inicial é de cerca de R$ 64 mil. Em relação ao faturamento anual, a média nacional é de R$ 442.812,17.

Ainda de acordo com a pesquisa, cerca de 60% dos empreendedores formais abriram a empresa com um sócio, contra 39% dos que o fizeram sozinhos. Além disso, 94% dos entrevistados têm funcionários, em média.

Questionados sobre a motivação para empreender, 38,5% dos pesquisados disseram que queriam ter seu próprio negócio e 35,2% afirmaram que já trabalhavam no ramo.

Outros 10,4% desejavam manter ou continuar negócios da família, 9,4% tinham necessidade financeira ou precisavam aumentar a renda e 7,3% tiveram falta de opção de trabalho ou estavam desempregados.

Dificuldades enfrentadas

Questionados sobre as principais dificuldades enfrentadas, os micro e pequenos empreendedores afirmaram que a burocracia (16,9%) e o dinheiro (16,7%) são os grandes vilões de quem está querendo realizar o sonho empresarial.

PUBLICIDADE

Nos seis meses após a formalização, 17,3% dos pesquisados disseram que o maior entrave é a conquista de mercados e clientes e 15,9% apontaram a falta de dinheiro como maior problema.