Renda das principais regiões metropolitanas aumenta 1,9% em fevereiro

Em média, o rendimento dos ocupados de SP, BH, POA, DF, Recife e Salvador atingiu R$ 1.032 no segundo mês do ano

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – O rendimento médio real dos ocupados das seis principais regiões metropolitanas do Brasil aumentou 1,9% no segundo mês de 2007, na comparação com fevereiro do ano passado, passando a equivaler R$ 1.032.

De acordo com os dados da “Pesquisa de Emprego e Desemprego”, divulgados nesta quarta-feira (28) pelo Dieese (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Econômicos) e pela Fundação Seade, considerando o resultado de janeiro, nota-se uma queda de 1% na renda.

Análise regional

Na comparação anual, o rendimento dos ocupados cresceu em 5 das 6 regiões analisadas, com exceção de São Paulo, que teve queda de 0,5%. Em Belo Horizonte, a alta foi de 11,4%; em Salvador, de 5,2%; no Distrito Federal, de 3,8%; em Recife, de 3,3%; e em Porto Alegre, de 2,4%.

Aprenda a investir na bolsa

Por outro lado, considerando a análise mensal, a renda aumentou em 3 regiões metropolitanas: Belo Horizonte (0,9%), Salvador e Distrito Federal (ambos 0,5%). Já em Porto Alegre (-3%), São Paulo (-1,4%) e Recife (-0,8%), houve redução.

Desemprego diminui

Ainda segundo o levantamento, a taxa de desemprego total nas seis regiões metropolitanas caiu de 17,2% em fevereiro de 2006 para 15,9% no mês passado. Entretanto, frente ao resultado de janeiro (15,3%), houve uma alta de 0,6 ponto percentual.

Considerando o índice de desemprego aberto (pessoas sem ocupação à procura de trabalho), que ficou em 10,2% em fevereiro, tem-se uma queda de 0,7 pp na comparação anual e uma elevação de 0,4 pp na mensal.

A taxa de desemprego oculto (pelo trabalho precário e pelo desalento), que atingiu 5,7% no segundo mês deste ano, apresentou diminuição de 0,6 ponto percentual em relação a fevereiro de 2006 e alta de 0,2 pp frente a janeiro.

Taxa de Desemprego Total
Região MetropolitanaFevereiro 2006Janeiro 2007Fevereiro 2007
Distrito Federal19,5%17,6%17,9%
Belo Horizonte15,5%12%12,9%
Porto Alegre13,6%12,2%12,3%
Recife20,8%20,7%20,4%
Salvador23,8%22,1%22,3%
São Paulo16,3%14,4%15,3%
Total17,2%15,3%15,9%

Fonte: SEP Convênio Seade-Dieese, MTE/FAT e convênios regionais

População ocupada

Em fevereiro, o número de ocupados no conjunto das seis regiões metropolitanas pesquisadas totalizou 16,094 milhões de pessoas, o que significa 2,6% de aumento na comparação com o mesmo período do ano anterior e 0,8% de queda frente a janeiro.

PUBLICIDADE

O setor de Serviços foi o que respondeu pela maior parte das ocupações (8,583 milhões de pessoas), seguido do Comércio (2,738 milhões), Indústria (2,533 milhões), Outros (1,421 milhão) e Construção Civil (819 mil).

Por fim, a pesquisa aponta que a maior parte das pessoas estava ocupada no setor privado, com carteira assinada (6,915 milhões). Os autônomos somaram 3,018 milhões; os funcionários do setor privado sem carteira assinada, 1,837 milhão; e os servidores públicos, 1,813 milhão.