Recrutadores agilizam processo de seleção para garantir contratações

Com receio de perder bons profissionais para a concorrência, empregadores aceleram a escolha de novos candidatos e adequam suas exigências à realidade do mercado

arrow_forwardMais sobre

SÃO PAULO – Ao contrário do que muitos possam imaginar, as negociações para contratar novos talentos nas empresas têm sido mais rápidas e flexíveis, afinal, são muitos os empregadores que perceberam que a demora neste processo pode causar prejuízos, especialmente no que diz respeito à aquisição de bons profissionais.

“O ritmo de negócios do País exige processos mais ágeis, porém não menos qualificados. Seleções muito longas trazem desvantagens às empresas que podem perder bons profissionais para a concorrência”, diz o diretor nacional de educação da ABRH-Nacional (Associação Brasileira de Recursos Humanos), Luiz Edmundo Rosa.

Isto ocorre, em parte, por conta da ausência de profissionais qualificados nos mais diversos setores. Até mesmo quem trabalha no agronegócio, por exemplo, precisa entender de logística e tecnologia, já que a produção se mostra cada vez mais mecanizada.

PUBLICIDADE

O comércio também não fica atrás, pois com novas tecnologias aumenta-se também a necessidade de profissionais preparados para a venda de produtos aos consumidores – estes, cada vez mais exigentes.

Menos experiência
Com a falta de mão-de-obra qualificada, ganha quem for mais rápido e flexível. Por esta razão, muitas empresas têm adequado suas exigências à realidade do mercado e, não raro, acabam optando pela contratação de profissionais menos experientes.

Para Rosa, o empregador precisa entender que estará escolhendo o ‘melhor profissional’ entre os regulares e, por isso, aceitar um candidato que não domina perfeitamente a tecnologia pode ser um bom investimento, desde que o mesmo se destaque nos processos de avaliação e seleção.

Neste caso, a contratação precisa ser certeira para que o empreendedor tenha garantias do retorno de tal investimento e não corra o risco de ver o profissional utilizando-se do conhecimento adquirido como trampolim para migrar para outra empresa.

Investimento interno
Uma alternativa para quem deseja evitar os transtornos dos processos de seleção é estar atento aos talentos já existentes no próprio quadro de funcionários da empresa. Muitas vezes, é lá que se encontram os profissionais mais aptos para receberem investimentos à longo prazo.

“Quem não aposta no pessoal de dentro da casa, pode ver seus melhores empregados sendo levados pela concorrência. Uma situação nada agradável neste período de escassez”, explica .

PUBLICIDADE

Avaliação criteriosa
Para evitar uma saia justa durante a entrevista, o ideal é que, ao participar de um processo de seleção, os candidatos saibam o máximo de informações sobre a empresa em questão: fiquem por dentro dos investimentos, transações comerciais e tecnologias utilizadas pelo empregador.

“Serão mais bem avaliados os profissionais pró-ativos, bem como aqueles que mencionarem na entrevista como poderão contribuir para que a empresa realize seu objetivo estratégico”, avalia Rosa.