Receita quer discutir com sindicatos redução de tributos sobre salários

Após ajudar setores produtivos, como o automobilístico, governo estuda forma de desonerar trabalhadores

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – O coordenador-geral de Estudos, Previsão e Análise da Secretaria da Receita Federal, Marcelo Lettieri, afirmou que a RFB pretende ouvir as centrais sindicais a respeito da tributação sobre a renda do trabalho.

De acordo com ele, a ideia é dar atenção à sociedade como um todo e não somente aos setores produtivos. O coordenador fez referência aos segmentos automobilístico, de construção civil e agricultura, que já foram beneficiados com desonerações.

Agora, é vez do trabalhador

Em entrevista à Agência Brasil, ele disse que a secretária da Receita Federal, Lina Vieira, quer agora prestar atenção às necessidades do trabalhador, por isso, já contatou as centrais sindicais.

Aprenda a investir na bolsa

“Ela, juntamente com o Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada), irá discutir a tributação sobre a renda do trabalho de forma aberta. Vamos passar informações, o Ipea vai fazer os estudos e discutir com os trabalhadores”.

Questionado sobre uma possível queda da carga tributária, Lettieri disse que, se a arrecadação está crescendo mais do que o PIB (Produto Interno Bruto), significa que realmente a carga tributária está alta.

Porém, segundo ele, a questão do cálculo é outra e tem de ser esclarecida. “É difícil comparar as cargas tributárias entre os países, não só por causa das metodologias, mas também pelo que o pessoal chama de carga tributária. Há mapas que dizem que o Brasil tem carga de 34%, e o México, de 22%. Mas o México não considera a Previdência nesse cálculo. Então, esse debate tem de ser enriquecido”.