Reajuste do salário mínimo não poderia ser barrado pelo ano eleitoral, diz ministro

Lupi defende que fato de 2010 ser ano de eleições presidenciais não podia ser impeditivo para aumento de 9,67% no salário mínimo

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – O ministro do Trabalho e Emprego, Carlos Lupi, afirmou que o ano eleitoral não deveria ser “impeditivo” para o aumento do salário mínimo.

Lupi defendeu o reajuste de 9,67% do salário mínimo, que entrou em vigor no dia 1º de janeiro deste ano. A medida pode ter sido considerada populista, uma vez que haverá eleições presidenciais em outubro.

“Não posso responsabilizar a população. Se é ano eleitoral, paciência, não podemos parar a máquina administrativa”, declarou ele no programa de rádio Bom Dia, Ministro, segundo informações da Agência Brasil.

O salário mínimo passou de R$ 465 para R$ 510. O seguro-desemprego também foi reajustado – as parcelas estão agora entre R$ 673,50 e R$ 954,21.

Aprenda a investir na bolsa

Criação de empregos
Para Lupi, 2010 será o melhor ano de todo o governo Luiz Inácio Lula da Silva, com a expectativa de criação de 2 milhões de empregos com carteira assinada.

O ministro também comemorou a geração de 1,4 milhão de postos de trabalho de janeiro a novembro de 2009, o que, segundo ele, “é uma amostra inequívoca da força da economia nacional”.